GuarulhosWeb | Na palma da sua m�o

Leia Mais:


Cantinho Animal - Os Cães e a Próstata
   

Rafael Claro Marques    04/04/2011 13:26

 

 

O cão, assim como o homem, pode apresentar alguns sérios problemas relacionados com a próstata. Ainda em comparação com o homem, é o único animal que também pode apresentar câncer de próstata.

A próstata é uma glândula sexual acessória encontrada em várias espécies de animais do sexo masculino. Ela se localiza um pouco abaixo da vesícula urinária (bexiga) e pode, quando acima de seu tamanho normal, comprimir a uretra, dificultando a saída da urina. Os cães, após uma certa idade podem vir a apresentar uma série de problemas relacionados a este órgão, tais como: hiperplasias benignas (aumento de tamanho), hiperplasias malignas (câncer), inflamações (prostatites), presença de cistos e etc. Geralmente, observa-se uma maior incidência destes casos nos animais acima de 9 anos.

O sinal clínico mais comum é a dificuldade de urinar. O cão chega a levantar a pata, mas não urina, ou urina em gotas. Em alguns casos, ocorre a presença de sangue na urina, o que assusta o proprietário com a evolução do quadro. Dores abdominais podem ocorrer, assim como falta de apetite e até febre.

Por ser uma glândula envolvida com a produção dos hormônios masculinos, na maioria dos casos recomenda-se a castração, principalmente nos casos de hiperplasia benigna, aonde o tamanho da próstata é reduzido em cerca de 70 % em 7 dias após o procedimento. Em casos de prostatite pode-se recorrer apenas ao uso de antibióticos e antinflamatórios.

Os casos mais graves estão relacionados ao câncer prostático, quando é necessária a retirada total da glândula, o que torna a cirurgia um pouco mais complicada. Caso o diagnóstico e o tratamento tenham sidos realizados precocemente, o que nem sempre acontece, a recuperação é satisfatória.

Exames de rotina como hemograma, ultrassom abdominal e palpação retal auxiliam em um diagnóstico mais preciso. Portanto, é sempre bom lembrar que animais idosos necessitam de exames de rotina com maior freqüência, o que nesses casos, podem fazer a diferença quanto ao prognóstico.

Rafael Claro Marques

(CRMV-SP 18.840) é médico veterinário e pós-graduado em Clínica Médica de Pequenos Animais

dr.rafael@clinicapontegrande.com.br

 

Todos os comentários e opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.

Comentários:

  1. marli rosas 12/04/2011 22:31

    otimas informações

    Rafael, aqui em casa, eu e o Carlos lemos todos os textos que vc escreve, pelos jornais. E aquele que fala sobre insolação é muito interessante pois há alguns meses passamos por problema semelhante com meu york, o Donato. Continue nos auxiliando com suas publicações. Torcemos pelo seu sucesso!

 |