Sexta Feira, 24 de Janeiro de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Jetta R-Line 250 TSI, o sedã médio da VW se reinventa com motor turbo

Confira a avaliação do novo Volkswagen Jetta R-Line TSI 250, o sedã médio que conta com motor 1.4 turbo e câmbio automático

Por Redação GuarulhosWeb

12 de Janeiro de 2020

 Ernesto Zanon - Especial para o GuarulhosWeb 

  

O Volkswagen Jetta chegou à sua sétima geração menos Golf e mais Passat. O GuarulhosWeb avaliou a versão top esportiva do modelo, o R-Line 250 TSI, equipado com um eficiente 1.4 turbo flex e câmbio automático de seis marchas, que tem diversos detalhes na aparência que garantem um design bem ousado e interessante. Comercializado próximo aos R$ 120 mil, é um sedã médio grande que garante conforto, segurança, boa performance e passa a impressão até de ser maior do que é, aproximando-se bastante da imponência do irmão Passat.   

No visual, volumes mais esculpidos no capô, para-choques e nas laterais, que passam a ideia de grandeza. A grade dianteira bem mais ampla segue a linha do Passat, deixando para trás qualquer semelhança que tinha com o Golf, modelo do qual se originou no passado. Isso se traduz também em espaço, já que a nova plataforma lhe garantiu um entre-eixos 3,7 cm maior, o que desencadeia uma série de melhorias, garantindo mais espaço interno. Vale frisar que o Novo Jetta tem 4,70 m de comprimento e 1,80 m de largura.  

Para o motorista, a ergonomia é das melhores, com os instrumentos bem à mão. A tela do multimídia Discover Media se alinha perfeitamente com o painel de instrumentos, facilitando a visualização e operação. O painel frontal se destaca pelas linhas retas, comuns na linha Volkswagen, e por um acabamento digno de veículos de nível superior. A iluminação interna pode ser configurada em 10 cores, de acordo com os quatro perfis de condução, de fácil ajuste ((Normal, Sport, Eco e Individual), que modificam também o comportamento da direção, transmissão e motor.  

No pé, o Jetta R-Line tem um comportamento muito agradável. Pode não chegar na versão anterior com motor 2.0. Mas é eficiente o suficiente para suprir as necessidades de quem espera um comportamento bem dinâmico e até um pouco agressivo. Tem ótimo arranque, graças ao turbo, e dá verdadeiros saltos na hora que precisa aquele algo a mais, numa ultrapassagem ou na necessidade de ir mais rápido, principalmente em condições de estrada.  

O consumo é mais do que elogiável. Com etanol, com quatro adultos a bordo, bagagem e ar condicionado acionado, não encontra dificuldades e cravar médias entre 12 e 13 km/l. Na cidade, fica sempre acima dos 8 km/l, marca realmente impressionante para um carro deste porte e desempenho.   

  

No visual, o Jetta R-Line se destaca pelos detalhes em preto como a grade frontal, retrovisores externos, revestimento interno do teto e os logos R-Line no volante e na grade. Também traz de série painel digital, ajuste automático do farol alto, detector de fadiga e um belo conjunto de auxílios eletrônicos ao motorista, que inclui controle de velocidade de cruzeiro adaptativo e três tipos diferentes de assistências de frenagem: em alta velocidade, em trânsito urbano e manobras de estacionamento.  

  

Equipamentos de série  

  • seis airbags,   
  • controle de estabilidade e tração,   
  • bloqueio eletrônico do diferencial,   
  • ar-condicionado de duas zonas,   
  • faróis dianteiros e traseiros em LED,   
  • câmera de ré,   
  • sensores de estacionamento dianteiro e traseiro,   
  • freio de estacionamento eletromecânico,   
  • imobilizador em subidas,   
  • partida por botão e trancamento automático das portas,   
  • farol de neblina com conversão estática (ilumina na direção do esterço da curva em velocidade igual ou acima de 40 km/h)   
  • assistente de partida em subida.   

São opcionais o teto solar panorâmico, carregador de celular por indução e sistema de som JBL