Sexta Feira, 28 de Fevereiro de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Preso mais um suspeito de participar de roubo de ouro no Aeroporto de Guarulhos

A polícia prendeu em Itanhaém, no litoral do estado, André Cezario Gomes, suspeito de fazer parte da quadrilha que roubou 750 quilos de ouro no Aeroporto de Guarulhos no ano passado.

Por Redação GuarulhosWeb

19 de Janeiro de 2020

Gomes já era procurado por envolvimento em um assalto a outro aeroporto, em Santa Catarina. Acabou preso em uma pastelaria perto de onde morava, já que era considerado foragido da justiça. 

Na segunda-feira (13), a polícia de Santa Catarina tinha indiciado ele e outras sete pessoas por participação no roubo de quase R$ 10 milhões do aeroporto Quero-Quero, em Blumenau. O assalto, em março do ano passado, deixou uma pessoa morta e duas feridas. 

Os investigadores dizem que André Gomes levava uma vida discreta no litoral de São Paulo. Morava em um apartamento simples, tinha dois carros usados e uma moto, que vendeu recentemente. Mas, sem chamar a atenção, investia muito dinheiro na compra e na reforma de imóveis no litoral. 

O delegado responsável pela prisão diz que o suspeito fazia parte de uma das maiores organizações criminosas do país, que nos últimos anos atacou carros fortes e invadiu os aeroportos de Guarulhos e Viracopos, em Campinas. 

Ouro e esmeraldas 

A quadrilha usou carros clonados da Polícia Federal e da Aeronáutica para ter acesso a um hangar de uma transportadora de valores e fugiu levando o ouro em uma ambulância. 

Além de roubar as barras de ouro, a quadrilha levou uma carga de esmeraldas e de relógios de luxo, de acordo com o chefe da delegacia de roubos a bancos Pedro Ivo Corrêa dos Santos. 

No total, foram 15 quilos de esmeralda que iam para a Índia, 18 relógios de luxo que iam para a Suíça e mais 51 quilos de ouro que iam para Dubai. 

Os investigadores apuram agora se os mais de 760 quilos de ouro foram exportados para a China disfarçados em pequenas partes. Filetes pequenos de 9 cm x 6 cm podem estar sendo colocados dentro de celulares e encaminhados para a o país asiático. 

Em setembro de 2019, a polícia prendeu um chinês que é comerciante na região do Brás. Ele estava com quase um quilo e meio de ouro na Avenida Paulista. O advogado dele disse que o ouro estava sendo comercializado de forma legal.