Bolsonaro diz que RS pode virar Roraima se esquerdalha voltar na Argentina

Luiz Raatz e Luciano Nagel, especial para a AE - 12/08/2019 15:51


O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira, 12, que "o Rio Grande do Sul pode virar um Estado como Roraima", caso o kirchnerista Alberto Fernández vença as eleições presidenciais argentinas em outubro.

Fernández, companheiro de chapa da ex-presidente Cristina Kirchner, teve mais de 15 pontos de vantagem para o presidente Mauricio Macri nas primárias do domingo, 11, que servem como uma espécie de termômetro para a disputa pela Casa Rosada. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva felicitou Fernández, por meio do Twitter.

"Se esta esquerdalha voltar na Argentina, nós poderemos ter no Rio Grande do Sul um novo Estado, como o de Roraima, e não queremos isso", disse o presidente, em referência ao êxodo migratório provocado pela crise econômica na Venezuela. "Não queremos ver irmãos argentinos fugindo para cá, caso essas eleições se confirmem."

O presidente ainda vinculou os kirchneristas a outras lideranças de esquerda no Brasil, na Venezuela e em Cuba. "Não esqueçam que na Argentina a turma da Cristina Kirchner, que é a mesma da Dilma (Rousseff), (Nicolás) Maduro, (Hugo) Chávez e Fidel Castro deram um sinal de vida (sic) aqui no Brasil (o presidente se referia à Argentina), ao lado do povo gaúcho", disse. "Existe uma turma aí que quer roubar nossa liberdade, e essa turma apoia a Venezuela, Cuba e Coreia do Norte. Não podemos esquecer isso", acrescentou o presidente.

Fernández, ex-chefe de gabinete de Néstor Kirchner e de Cristina, foi escolhido como cabeça de chapa pela ex-presidente, que enfrenta problemas na Justiça argentina em abril. Em julho, ele visitou Lula na prisão, em Curitiba, e defendeu sua libertação.

Derrota pessoal para Bolsonaro

Para analistas, a vitória de Fernández nas prévias representa um revés para Bolsonaro, que tem se dedicado com afinco desde que assumiu o governo a apoiar Macri. Do lado argentino, especialistas na política local acreditam que a relação com o Brasil e a opinião do presidente sobre a disputa não tem um impacto relavante no cenário eleitoral.

"A vitória de Fernández e Cristina é uma derrota pessoal para Jair Bolsonaro", disse ao jornal O Estado de S. Paulo Dawisson Belém Lopes, professor de política internacional da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). "Isso por que Bolsonaro encampou a causa e fez campanha pessoalmente por Macri. Esteve na Argentina e mesmo nos Estados Unidos quando visitou o ex-presidente George W. Bush falou de uma preocupação do republicano com a eleição argentina."

Para o cientista político Ignacio Labaqui, da Universidade Católica de Buenos Aires, questões de política externa que envolvem o Brasil não são muito relevantes nas eleições argentinas. Além disso, o porcentual dos eleitores no país vizinho que compartilha da ideologia do presidente é pequeno.

"O fato de Bolsonaro apoiar Macri não tem tido influência na eleição argentina", disse o cientista político. "Macri tem relações boas com Trump e Bolsonaro, mas se sente mais cômodo ideologicamente com Obama, por exemplo, do que com a extrema direita que o americano e o brasileiro representam", acrescentou. "Macri não tem nada a ver com o que Bolsonaro representa."

Disputa ideológica chega à Argentina

O professor da UFMG ainda lembra que a eleição argentina de outubro será decisiva para medir a disputa entre esquerda e direita na América Latina. Desde 2015, com a eleição do próprio Macri, o humor político da região vinha abandonando os governos de esquerda que se tornaram majoritários no começo do século em prol de gestões mais liberais, da qual Macri pretendia ser o pioneiro.

"Aparentemente o ciclo liberal na Argentina deve ser breve, o que é surpreendente", nota Belém Lopes. "O que se esperaria era algo mais duradouro, ou que pelo menos Macri fizesse um sucessor. Mas seu governo não foi bem-sucedido sobretudo na economia."

O especialista lembra ainda que resta saber se essa mudança de humor político deve se espalhar pelo resto da América Latina. A Bolívia e o Uruguai têm eleições ainda este ano, e o campo da esquerda no poder. tanto em La Paz quanto em Montevidéu, é favorito.

A origem da crise argentina

Macri chegou ao poder em 2015, depois de dois mandatos de Cristina Kirchner e um do marido dela, Néstor, que assumiu o país em 2003 depois da maior crise econômica da história do país. A alta das commodities permitiu que o país voltasse a crescer e saísse do vermelho, com bons índices de crescimento.

Apesar disso, a economia continuou fechada e dependente de subsídios. No segundo mandato, entre 2011 e 2015, Cristina maquiou índices de inflação e restringiu as reservas de dólares do BC, o que agravou a crise.

Macri apostou em reformas liberalizantes e no corte de subsídios, o que aumentou a inflação. Sem conseguir conter a alta nos preços, recorreu a um acordo com o FMI - profundamente impopular no país em consequência da crise de 2001. Em abril deste ano, o presidente passou a congelar preços para tentar segurar a alta da inflação.

Seja o primeiro a comentar esta notícia.


Participe! comente esta notícia
informe o seu nome.
@
por favor um e-mail válido
T

Veja Também

México pode aceitar regra dos EUA para comércio de aço, mas não de alumínio

O governo do México pode aceitar um pedido dos Estados Unidos por maior conteúdo regional em aço, contanto que exista um período de adaptação de cinco...

09/12/2019 12:51
Casal de brasileiros escapa por pouco de vulcão em erupção na Nova Zelândia

Um casal de brasileiros que viajava pela Nova Zelândia escapou por pouco da erupção do vulcão White Island nesta segunda-feira, 9. Até o momento, cinco...

09/12/2019 09:52
Bolsonaro diz estar analisando a lista de convidados para posse na Argentina

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 9, que está analisando a "lista de convidados" para a cerimônia de posse do novo presidente...

09/12/2019 09:47

Últimas Notícias

Policial

Balão cai em avião da Latam no Aeroporto Internacional de Guarulhos

Um balão caiu sobre um avião no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na manhã deste domingo, 8/12. Um vídeo com o...

09/12/2019 21:03

Policial

Falso motorista de aplicativo é preso após tentativa de estupro no Bonsucesso

Um homem de 33 anos, que se passava por motorista de aplicativo, foi detido na tarde desta segunda-feira, 09/12, após uma tentativa de estupro...

09/12/2019 19:20

Cidades

Última edição de 2019 do programa Você na Prefeitura acontece neste sábado no Cabuçu

A EPG Vereador Faustino Ramalho, localizada no Cabuçu, recebe no próximo sábado (14) a última edição do...

09/12/2019 18:52