Equipe econômica estuda atrelar remuneração da poupança à inflação

Aline Bronzati - 24/08/2019 12:50


A taxa básica de juros no País no piso histórico e a abertura do caminho para corrigir os financiamentos imobiliários pela inflação provocam uma nova e polêmica discussão na equipe econômica e nos bancos: a mudança das regras de remuneração da poupança. A ideia por trás dessa eventual alteração, segundo apurou o Estadão/Broadcast, plataforma de notícias em tempo real do Grupo Estado, é desatrelar a rentabilidade das cadernetas da taxa básica de juros com o argumento de que é preciso fazer com que essas contas acompanhem os indicadores usados nos financiamentos imobiliários - o principal destino do dinheiro da poupança.

O assunto ainda está trancado a sete chaves na equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro, mas o anúncio, feito pela Caixa Econômica Federal, dos novos financiamentos imobiliários corrigidos pela inflação nesta semana parece ter levado o debate para uma próxima etapa que, agora, passa a focar a rentabilidade das cadernetas. "O crédito imobiliário com IPCA é um sinal de que, se já estão desregulamentando o passivo (os empréstimos), naturalmente, é preciso desregulamentar o ativo, que é a fonte de recursos para o crédito imobiliário", diz uma fonte a par do tema.

Hoje, a poupança é remunerada pela Taxa Referencial (TR), que atualmente está zerada, somada a 70% da taxa básica da economia. A regra, criada em 2012 pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff, entra em vigor toda vez que a Selic cai abaixo de 8,5% ao ano - caso atual, em que a taxa básica de juros da economia está em 6%. Para depósitos feitos até maio de 2012, vale a regra antiga, que prevê rentabilidade fixa de 0,5% ao mês, ou 6,17% ao ano, mais a TR. Caso os juros básicos da economia subam acima de 8,5% ao ano, volta a vigorar a norma anterior.

Agora, a equipe econômica cogita atrelar a rentabilidade da caderneta ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

"Hoje, a remuneração da poupança não tem nada a ver com a taxa referencial. Já há um descasamento de taxa porque o indicador de quanto os bancos remuneram os depósitos na poupança é TR mais alguma coisa, mas quando vão emprestar os depósitos atuais são remunerados a um porcentual de juros", alerta uma fonte da equipe econômica, na condição de anonimato.

Poupador

Como a Selic está em 6% ao ano e a TR está zerada, a remuneração das cadernetas atualmente é de 4,20% ao ano. A meta de inflação do BC para este ano é de 4,25%. O Conselho Monetário Nacional (CMN) já anunciou a redução do patamar do IPCA nos próximos anos até chegar em 3,50% em 2022.

Esse quadro tem gerado distorção adicional no mercado de investimentos. Isso acontece porque a poupança tem isenção de imposto de renda e, comparativamente, já consegue render mais que alguns fundos de renda fixa dos grandes bancos de varejo. Essa vantagem das cadernetas tem influenciado até o custo da emissão de Certificados de Depósito Bancário (CDB).

Para os poupadores, o impacto da mudança na remuneração da poupança dependerá da regra a ser adotada no governo atual - se haverá ou não, por exemplo, um porcentual adicional ao IPCA.

O estudo do governo sobre eventual mudança na remuneração da poupança ocorre, ainda, em meio a crescentes saques nas cadernetas. No acumulado do ano até julho, as saídas líquidas somam mais de R$ 16 bilhões. Trata-se da maior retirada para o período desde 2016, quando o fluxo das cadernetas ficou negativo em R$ 43,721 bilhões.

Procurado, o BC informa que não há qualquer estudo nem demanda sobre mudança na caderneta de poupança. O Ministério da Economia não se manifestou. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Seja o primeiro a comentar esta notícia.


Participe! comente esta notícia
informe o seu nome.
@
por favor um e-mail válido
T

Veja Também

Agricultura: Brasil autoriza importação de uva e alho do Egito

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, informou hoje que, após o Brasil ter conseguido, ontem (14), a abertura do mercado do Egito para produtos...

15/09/2019 11:13
Yang Wanming: O objetivo de Washington é usar bullying e pressão

A China não quer a guerra comercial com os Estados Unidos, mas tampouco a teme. Na verdade, segundo Yang Wanming, embaixador da China no Brasil, a...

15/09/2019 08:43
Afinal, o que a Amazon quer no país?

Em sete anos no País, a Amazon vem fazendo uma expansão sem pressa. Começou com livros digitais, chegou aos físicos, abriu novas categorias e um centro...

15/09/2019 08:35
Bikeboys rodam 12 horas por dia e 7 dias por semana para ganhar R$ 936

Samuel Marques sai às 9h do Capão Redondo para chegar ao trabalho, na Vila Olímpia, por volta das 10h. Vai de bicicleta, com uma caixa térmica de 45...

15/09/2019 08:28

Últimas Notícias

Carro Express

Renault Kwid Outsider, a versão top do subcompacto que mais vende

Não é à toa que o Renault Kwid vem sendo o preferido dos consumidores que buscam um carro pequeno, com vocação...

15/09/2019 18:04

Esportes

Guarulhos sofre virada em casa e precisa vencer em São José para avançar na 4ª Divisão

O Guarulhos se complicou na 4ª Divisão do Campeonato Paulista, ao perder, de virada, para o Fernandópolis por 2 a 1, no...

15/09/2019 13:14

Cidades

Carro capota e fica destruído no Jardim Vila Galvão

O GuarulhosWeb recebeu imagens de um carro capotado e bem avariado na esquina das Ruas Diogo Botelho com a Princesa Izabel, no Jardim Vila...

15/09/2019 12:17

Policial

Motorista embriagado tenta fugir, mas é pego pela polícia na Rodovia Ayrton Senna

Um motorista que dirigia pela Rodovia Ayrton Senna, altura do KM 28, 5, em Guarulhos, na noite deste sábado, 14/09, por volta das 20h20,...

15/09/2019 10:58