Coreia do Sul faz exercício militar para se defender do Japão e eleva tensão

por Guarulhosweb - 25/08/2019 20:57


A Coreia do Sul iniciou neste domingo, 25, dois dias de exercícios militares para ensaiar a defesa de uma série de ilhas disputadas com o Japão na costa leste, elevando ainda mais as tensões entre os dois países vizinhos. O ministro das Relações Exteriores japonês, Kenji Kanasugi, qualificou os exercícios de inaceitáveis e declarou que a Coreia do Sul precisava encerrar os exercícios próximos às Ilhas Takeshima - que os sul-coreanos chamam de Dokdo -, afirmando que elas são parte do Japão.

Na semana passada, o governo de Seul encerrou um programa de cooperação de inteligência militar com Tóquio, piorando as relações entre os dois países que já travam disputas comerciais e diplomáticas. A Coreia do Sul alegou perda de confiança no Japão para encerrar a cooperação entre os dois países na área de defesa, fundamental para o compartilhamento de informações sobre a Coreia do Norte.

Segundo o governo sul-coreano, o exercício - rebatizado de "treinamento de defesa do território do Mar do Leste" - consolidará a determinação militar de defender as Ilhas Dokdo e a área ao redor, disseram as forças navais.

A Coreia do Sul iniciou esses exercícios em 1986 e desde então os realiza duas vezes por ano - geralmente em junho e dezembro - apesar da improbabilidade de o Japão lançar um ataque. Este ano, os exercícios foram atrasados em razão da tensão com o Japão, mas eles incluem um número significativamente maior de forças, além de uma área mais ampla. Pela primeira vez, os exercícios incluirão um destróier equipado com o sistema de combate Aegis.

Seul controla estas ilhotas rochosas desde 1945, quando a ocupação japonesa da Península Coreana terminou, depois de 35 anos. Tóquio também reivindica as ilhas e acusa a Coreia do Sul de ocupá-las ilegalmente. A soberania das ilhas é um tema sensível entre os dois países, assim como a denominação do mar que as cerca. O governo de Seul o chama de Mar do Leste, enquanto que o de Tóquio, de Mar do Japão.

Ambas as nações são economias de mercado, democracias, aliadas dos EUA e estão ameaçadas pela Coreia do Norte, que tem feito uma série de testes de mísseis. Mas os dois vizinhos estão envolvidos em disputas comerciais e diplomáticas há semanas. As relações se deterioraram em 2018 depois que um tribunal da Coreia do Sul ordenou que empresas do Japão indenizassem os sul-coreanos que foram forçados a trabalhar em suas fábricas durante a ocupação japonesa até o fim da 2.ª Guerra.

Restrições

Em julho, o Japão impôs novas restrições à exportação de bens que são fundamentais para as empresas de tecnologia sul-coreanas, o que desencadeou uma série de medidas de represália que levaram os dois países a retirar a outra parte de suas respectivas listas de parceiros comerciais confiáveis.

Tóquio considera que a Coreia do Sul violou em várias ocasiões as normas relativas a exportações. Por isso, a medida - que entrará em vigor na quarta-feira - seria necessária por uma questão de "segurança nacional". O governo japonês explicou que muitas empresas do Japão têm autorização para exportar para países que não integram esta "lista branca", e o mesmo mecanismo poderá ser aplicado à Coreia do Sul.

Em resposta às restrições, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, afirmou que Tóquio é responsável por "ignorar as soluções diplomáticas" e "agravar a situação". Segundo ele, "a responsabilidade pelo que acontecerá a seguir está diretamente no governo japonês".

Em agosto, a Coreia do Sul inaugurou um memorial às "mulheres de consolo", forçadas a trabalhar em bordéis militares japoneses nos tempos de guerra, irritando o Japão, para quem a questão já tinha sido resolvida por um tratado de 1965 que estabeleceu indenizações e laços diplomáticos. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Seja o primeiro a comentar esta notícia.


Participe! comente esta notícia
informe o seu nome.
@
por favor um e-mail válido
T

Veja Também

Crise política se aprofunda em Hong Kong enquanto manifestantes retomam as ruas

A turbulência política que envolve Hong Kong não mostrou sinais de diminuir neste domingo, quando dezenas de milhares de manifestantes marcharam pelas...

15/09/2019 09:41
Irã nega acusação de que está por trás de ataques à produção de petróleo saudita

O Irã negou neste domingo ter participado de ataques de drones no Iêmen, realizados neste sábado e que atingiram a maior instalação de processamento de...

15/09/2019 08:12
Pompeo atribui ao Irã ataque a petroleira saudita

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, atribuiu ao Irã o ataque contra instalações da petroleira Saudi Aramco, na Arábia Saudita. Rebeldes do...

14/09/2019 18:41
Oposição e manifestantes pró-Pequim se enfrentam em ato em Hong Kong

Membros de grupos pró-democracia se enfrentaram nas ruas de Hong Kong com defensores do governo da China, em mais um dia de protestos.Centenas de...

14/09/2019 16:46

Últimas Notícias

Carro Express

Renault Kwid Outsider, a versão top do subcompacto que mais vende

Não é à toa que o Renault Kwid vem sendo o preferido dos consumidores que buscam um carro pequeno, com vocação...

15/09/2019 18:04

Esportes

Guarulhos sofre virada em casa e precisa vencer em São José para avançar na 4ª Divisão

O Guarulhos se complicou na 4ª Divisão do Campeonato Paulista, ao perder, de virada, para o Fernandópolis por 2 a 1, no...

15/09/2019 13:14

Cidades

Carro capota e fica destruído no Jardim Vila Galvão

O GuarulhosWeb recebeu imagens de um carro capotado e bem avariado na esquina das Ruas Diogo Botelho com a Princesa Izabel, no Jardim Vila...

15/09/2019 12:17

Policial

Motorista embriagado tenta fugir, mas é pego pela polícia na Rodovia Ayrton Senna

Um motorista que dirigia pela Rodovia Ayrton Senna, altura do KM 28, 5, em Guarulhos, na noite deste sábado, 14/09, por volta das 20h20,...

15/09/2019 10:58