Sábado, 19 de Setembro de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Polícia Federal apreende 12 kg de cocaína e prende 4 pessoas

A Polícia Federal (PF), no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, prendeu...

Por Foto: Divulgação

16 de Março de 2020 as 10:45

A Polícia Federal (PF), no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, prendeu entre os dias 13 e 15 de março, quatro passageiros de voos internacionais com drogas.


Foram três ações distintas que resultaram na apreensão de drogas destinadas à África do Sul, Portugal e Etiópia. Na primeira ação, ocorrida na tarde da sexta-feira, funcionários que atuam no controle migratório, na fiscalização dos passageiros, perceberam que uma mulher possuía algo oculto no corpo, na região da cintura. Os policiais federais foram acionados e, na busca pessoal, encontraram um volume, contendo 3 Kg de cocaína, oculto em uma espécie de cinta. O destino da droga era a cidade de Joanesburgo, na África do Sul. No sábado, um casal de brasileiros que pretendia embarcar para Lisboa, em Portugal, foi retirado da aeronave e preso. Os policiais, ao inspecionar as bagagens que eles haviam despachado, encontraram dentro das mala da mulher, de 24 anos de idade, quase 5 Kg de cocaína ocultos em fundos falsos e, na mala do homem, de 40 anos, outros 3 Kg da mesma droga também em fundos falsos. Uma mulher, nacional da África do Sul, de 48 anos de idade, foi presa no domingo, ao tentar embarcar para Addis Ababa, na Etiópia, com 2 Kg de cocaína. A droga também foi encontrada oculta em um fundo falso da mala da passageira.


Uma passageira, nacional da Bolívia, que disse ser médica e que estaria acompanhando seu namorado no Brasil em tratamento de saúde, foi detida por policiais federais que receberam uma denúncia de que ela havia furtado cartelas de medicamentos do seu companheiro, também boliviano, de dentro do hospital. Com a suspeita foram encontradas cartelas do medicamento informado e também o passaporte do paciente. A mulher disse aos policiais que havia levado consigo as cartelas de comprimidos, porque seu companheiro estava se automedicando e que não sabia que o passaporte dele estava dentro de sua bolsa. Foi instaurado em seu desfavor um inquérito pelo crime de furto.