Quinta Feira, 28 de Maio de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Sindicato repudia imposição de limite no valor do gás de cozinha

O GuarulhosWeb verificou que a alta procura por gás de cozinha fez com que muita gente não encontrasse os botijões nas distribuidoras

Por Redação GuarulhosWeb

02 de Abril de 2020 as 18:38

O governador João Dória anunciou, em coletiva de imprensa realizada na quarta-feira, 1º/4, que o botijão de gás não deveria custar mais do que R$ 70 no estado de São Paulo e que realizará ações de fiscalização para saber se os distribuidores estão cumprindo a determinação. 


"O preço limite é R$ 70, não é R$ 71 nem R$ 72 e o Procon está autorizado a agir com o rigor da lei para proteger a população", afirmou João Dória.


O GuarulhosWeb verificou que a alta procura por gás de cozinha fez com que muita gente não encontrasse os botijões nas distribuidoras. Muitas delas se aproveitaram da demanda e aumentaram abusivamente o valor do produto, gerando inúmeras reclamações de consumidores nas redes sociais e no Procon. Somente em Guarulhos, o órgão recebeu 38 denúncias sobre comerciantes que chegaram a aumentar o valor do gás de R$ 67 para até R$ 129,00.


Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) condenou a ameaça da administração estadual e garantiu que o preço médio em fevereiro estava em acordo com a recomendação do governador. Confira, na íntegra, a publicação.


" O Sindigás esclarece que o preço do botijão de gás é livre, regulado pelo mercado, sem que haja estabelecimento de valores máximos ou mínimos. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em fevereiro de 2020, o preço médio no estado de São Paulo estava na ordem de R$ 70. Por ser um valor médio, calculado para todo o estado, é natural que existissem, no período, comerciantes vendendo o botijão tanto por valores acima quanto abaixo desse patamar.


O Sindigás ressalta que repudia toda e qualquer tentativa de prática de preços abusivos. Embora esteja de acordo com a mobilização de governos e órgãos públicos de fiscalização para coibir aqueles que buscam tirar vantagem em um momento especialmente delicado para as famílias brasileiras, o Sindigás alerta para ações que possam ter efeitos indesejados.


O anúncio por autoridades de que a Polícia Militar realizará ações contra comerciantes que estejam vendendo o produto acima de R$ 70 pode levar à punição injustificada de centenas de empreendedores sérios que podem comercializar o produto acima de R$ 70, sem que estejam praticando preços abusivos. A consequência de tais medidas pode ser o fechamento de revendas, diante do temor de punições arbitrárias".


O diretor executivo do Procon, Fernando Capez, garantiu que agentes do departamento vão fiscalizar diariamente os distribuidores para evitar má-fé com o consumidor. "Temos equipes de plantão que estão nas ruas para aplicar multas e conduzirão os responsáveis para responder por crime contra a economia popular", enfatizou Capez.