Quinta Feira, 15 de Abril de 2021

Quarentena é prorrogada diante de alta nos casos e baixa no isolamento em Guarulhos

Previsão era de que a flexibilização iniciasse nesta quarta, dia 6, mas casos de Covid-19 e óbitos na cidade continuam aumentando

Por Redação GuarulhosWeb

05 de Maio de 2020 as 19:21

A Prefeitura de Guarulhos prorrogou até o dia 10 de maio, próximo domingo, a quarentena diante da pandemia do novo coronavírus e adiou a flexibilização do decreto que determina o fechamento de diversas atividades econômicas na cidade. A medida segue determinação do Ministério Público do Estado de São Paulo, que manteve diálogo com a Prefeitura desde o final da semana passada.

O decreto municipal editado no dia 20/3, complementado depois em 21/4, previa a reabertura gradual de alguns estabelecimentos a partir desta quarta-feira, dia 6. A iniciativa, no entanto, sempre foi condicionada pelo prefeito Guti ao achatamento da curva de contágio em Guarulhos, o que não ocorreu, diante do baixo nível de isolamento social.

A prorrogação foi anunciada por Guti, ao lado do secretário de Justiça, Airton Trevisan, em transmissão de vídeo ao vivo nas redes sociais, no início da noite desta terça-feira, 5/05. Ao todo, Guarulhos tem 710 casos confirmados de Covid-19 e 90 óbitos. "Infelizmente o Ministério Público determinou que só podemos flexibilizar apresentando elementos técnicos que mostrem o baixo risco de saúde. Eles entendem que não temos autonomia para essa reabertura, que nossa competência é suplementar à do Estado”, explicou Trevisan.

"Realmente, Guarulhos foi um dos primeiros municípios a adotar medidas contundentes para impedir a propagação do vírus. Sabe-se, também, da necessidade de retomadas das atividades econômicas, sendo esse, aliás, o grande dilema dos administradores públicos. Mas, conforme visto, os dados e números oficiais relativos à pandemia não autorizam, por enquanto, o relaxamento das medidas de isolamento social, pelas razões acima explicitadas", diz trecho da decisão do MP-SP.

“Com a decisão do MP nós não temos segurança jurídica para reabrir setores da economia, como estávamos planejando. Precisamos ser mais cautelosos ainda. Para reabrir Guarulhos a gente precisa estar em sintonia. Todos remando para o mesmo lado para a sociedade passar por isso da melhor forma”, afirmou o prefeito.

Segundo ele, após o dia 10 o município deve seguir as decisões tomadas pelo governo do estado, já que não é possível adotar medidas diferentes de outros municípios da Região Metropolitana. Atualmente, apenas atividades essenciais devem continuar funcionando, desde que estejam de acordo com as recomendações dos órgãos de saúde, como limitação no número de clientes e o espaçamento mínimo entre eles e o uso obrigatório da máscara como medida protetiva.

A taxa de ocupação de leitos atingiu 89% em Guarulhos. A rede municipal alcança 73% enquanto não há mais vagas nos hospitais estaduais localizados na cidade, o Padre Bento e o Hospital Geral de Guarulhos.