Terça Feira, 14 de Julho de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Empresa permite parcelamento de dívidas e boletos durante pandemia

Portal permite o parcelamento de qualquer boleto que tenha código de barras

Por Redação GuarulhosWeb

23 de Maio de 2020 as 11:08

A crise econômica provocada pelo coronavírus é devastadora. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, 1,5 milhão de brasileiros já buscaram o seguro-desemprego durante a pandemia. Os efeitos negativos do surto também são sentidos em outros países da América Latina e nos EUA. No país norte-americano, por exemplo, 38 milhões de trabalhadores ficaram desempregados em nove semanas, segundo dados do Departamento do Trabalho local.

Diante desse cenário desolador em que os cidadãos estão sem salários e com dificuldades para pagar as contas, a empresa Zignet possui uma solução que facilita a vida de quem se encontra nessa situação: o parcelamento das dívidas em até 12 vezes no cartão de crédito.

Um dos responsáveis pela Zignet, o empresário Paulo Lofreta, ex-presidente da Cebrasse (Central Brasileira do Setor de Serviços), explicou como funciona o processo. “O cliente necessita ter um ou mais cartões com limite suficiente para pagar seus débitos. Nosso portal permite o parcelamento de qualquer boleto que tenha código de barras. O cliente pode parcelar IPTU, contas de água, luz e telefone, além de TV a cabo, mensalidades escolares, condomínios, entre outros”, destacou Lofreta.

Além da vantagem do parcelamento, a Zignet possibilita que a pessoa faça o pagamento de casa, sem que ela necessite se expor ao risco de contaminação pelo coronavírus. “O processo pode ser feito via web, por meio do nosso site http://www.zignet.com.br/, desde que o cliente seja o proprietário do cartão utilizado na transação”, ressaltou o empresário.

Para Lofreta, todos saem ganhando com a solução disponibilizada pela Zignet: o consumidor, o empreendedor, a administração pública ou a empresa emissora do boleto. “Em tempos de crise, às vezes, a pessoa quer cumprir com seu compromisso, mas simplesmente não consegue por estar desempregada e não receber salários. Do outro lado do balcão, o fornecedor, seja uma empresa privada ou pública, também começa a sentir os efeitos da redução de faturamento. Nós oferecemos uma oportunidade para que ninguém saia perdendo nesse momento”, concluiu. O cliente quita a dívida e a empresa melhora o fluxo de caixa.