Sexta Feira, 16 de Abril de 2021

Doria inclui a capital e deixa Guarulhos fora da flexibilização; conheça as cinco fases do Plano São Paulo

Conforme publicado pelo GuarulhosWeb nesta terça-feira, 26, a capital é a segunda no ranking das 15 maiores cidades do Estado com maior contágio de coronavírus, enquanto Guarulhos ocupa o 12º lugar

Por Redação GuarulhosWeb

27 de Maio de 2020 as 13:39

Anunciado durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira, 27/5, o Plano São Paulo flexibilizará, entre os dias 1º e 15 de junho, a quarentena em parte do Estado. Recordista em mortes por coronavírus, a capital foi incluída na fase 2 do projeto, enquanto toda Grande SP, incluindo Guarulhos, que tem menor contágio do que a cidade gerida pelo prefeito Bruno Covas, continua na primeira etapa. No entanto, o prefeito Guti poderá anunciar regras diferentes ate sexta-feira, quando o atual decreto municipal precisa ser atualizado.


Conforme publicado pelo GuarulhosWeb nesta terça-feira, 26, a capital é a segunda no ranking das 15 maiores cidades do Estado com maior contágio de coronavírus. De cada 100 habitantes, 3,79 estão infectados. Guarulhos, segunda maior população de São Paulo, ocupa apenas a 12ª posição, com média de 1,58. Mesmo assim ficou fora da flexibilização de Doria, enquanto São Paulo foi incluída direto na segunda etapa.


O projeto é dividido em cinco fases, que serão seguidas de forma regionalizada, desde que os municípios controlem o contágio do coronavírus. Além da evolução da pandemia, o governo alega que utiliza critérios como a taxa de ocupação de leitos de UTI e a quantidade de internações e óbitos relacionados ao covid-19.


O número de óbitos por 100 mil moradores também não beneficia a capital. São Paulo tem 0,29 pessoas mortas em decorrência do coronavírus, a quarta que mais lamenta falecimentos, enquanto Guarulhos figura no 7º lugar, com 0,17 óbitos."São Paulo tem 85% de ocupação de UTI e há três semanas figura entre 85% e 92% de UTI", justificou Bruno Covas.


A 1ª fase, denominada "Alerta Máximo", é o momento em que apenas serviços essenciais, indústria e construção civil podem continuar funcionando, seguindo as regras estabelecidas pela administração. Guarulhos continua, de acordo com a decisão do governo, nesta etapa, sem novidades em relação ao que já tem acontecido.


A 2ª fase, de controle, flexibiliza a abertura de escritórios, concessionárias, shoppings centers e parte do comércio. Bares e restaurantes ainda não são contemplados neste momento. Há restrição de fluxo, de horário. Exemplo, os shoppings devem funcionar apenas 4 horas por dia e obedecendo distância de 1 metro e meio entre os usuários. A capital, bem como a região de Campinas, foi incluída nesta etapa, já em fase de afrouxamento da quarentena.


A 3ª fase, que contemplou cidades como Bauru, Presidente Prudente e Barretos, libera bares e restaurantes e salões de beleza, também acompanhados de restrições.


A 4ª fase, que inclui a abertura das academias, não abrange, até o momento, nenhuma cidade do Estado. Tampouco a 5ª etapa, que retorna todas as atividades econômicas, sem restrições, em São Paulo.


O governo alega que as regiões continuarão sendo avaliadas para passarem de um grau de afrouxamento para outro. No entanto, qualquer mudança pode ocorrer apenas após 14 dias de estudo o que deixa, pelo menos até 15 de junho, Guarulhos sem qualquer novidade relativa à flexibilização. Após esta data, desde que o município se enquadre nas exigências da gestão estadual, a cidade passará por nova "prova" para tentar um acesso à segunda etapa do plano.