Terça Feira, 14 de Julho de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

De olho no Dia dos Namorados, shoppings têm protocolo com 20 metas de procedimentos para reabertura

Entidade que representa os shoppings faz pesquisa entre associados sobre horário máximo de 4 horas de funcionamento

Por Redação GuarulhosWeb

29 de Maio de 2020 as 13:29

Com o anúncio de que shoppings centers da Capital estão entre as atividades comerciais autorizadas a solicitar a reabertura a partir da próxima segunda-feira, 1º/06, a Alshop, associação que representa os lojistas de shoppings em São Paulo, prepara o plano para a retomada a ser entregue à Prefeitura paulistana, com base em documento já divulgado pela entidade no dia 15 de maio, com 20 metas de higiene e procedimentos.

Após a queda de receita com as portas fechadas no Dia das Mães, os lojistas miram o Dia dos Namorados para se recuperar. No entanto, se a autorização da Prefeitura for para funcionamento de apenas 4 horas por dia, a conta pode não fechar. Segundo a Alshop, as vendas devem representar de 20% a 25% do que no ano anterior, devido à baixa frequência de clientes, inseguros com relação à pandemia. "Estamos fazendo uma pesquisa entre nossos associados, já que nossa proposta é de funcionamento máximo de 8 horas por dia. Menos do que isso pode não compensar, já que há custos para se manter as lojas abertas e a perspectiva é de vendas menores", explicou ao GuarulhosWeb o diretor de Relações Institucionais da Alshop, Luís Augusto.

No Bom Dia SP, da Rede Globo, o Covas disse que a expectativa é de reabrir os estabelecimentos que tiverem os protocolos aprovados ainda na primeira quinzena de junho. “Nada reabre no dia 1º de junho. Iniciaremos o recebimento de protocolos das entidades representativas e a expectativa é de reabrir em junho. Dentro da primeira quinzena”, disse.

A Alshop representa um universo de 105 mil lojas distribuídas em 577 empreendimentos. Ainda segundo a associação, a decisão do governador João Doria, nesta sexta, de agrupar as cidades da Grande SP em sub-regiões, deve facilitar a flexibilização nesses municípios, que estão interligados à Capital, na prática.


Confira quais são as 20 metas que servirão de base para o protocolo de procedimentos dos shoppings da Capital:


1. Abertura de lojas de shopping em horário reduzido de atendimento: das 12h às 20h permitindo que os estabelecimentos funcionem em apenas um turno reduzindo o custo da operação. 65% dos lojistas concordam com esta medida segundo a pesquisa nacional da Alshop;

2. Controle de entrada dos clientes nas lojas conforme metragem do estabelecimento;

3. Obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial;

4. A limitação da quantidade de clientes será seguida e informada por placas indicativos na entrada das lojas, bem como nas áreas comuns dos centros de compra;

5. Nos restaurantes com salão interno, será adotado maior distanciamento entre as mesas. Nas praças de alimentação, as mesas serão distanciadas ou terão seu uso alternado evitando aglomerações;

6. Em lojas âncora, de maior metragem, controlar o acesso dos clientes com funcionários, a fim de orientá-lo sobre os novos procedimentos;

7. Mapear a distância entre clientes com identificação nas filas dos caixas por meio de adesivos no piso, como tem sido usado nos supermercados, bancos e casas lotéricas.

8. Usar unifilas ou outro suporte para distanciar os clientes dos atendentes do caixa. Outra solução é instalar placas de acetato nos caixas das lojas com abertura inferior para a cobrança em papel moeda ou máquinas de cartões devidamente higienizadas. As placas de acetato serão higienizadas, seguindo um protocolo igualmente rígido assim como os pin-pads que serão revestidos com papel filme facilitando a higienização a cada operação;

9. Os colaboradores das lojas usarão materiais de proteção individual como máscaras, protetores faciais (face shields), álcool gel, luvas, para os que lidam com papel moeda;

10. Os colaboradores terão limite de espaço nos locais comuns específicos e na mesa de almoço, em refeitórios não poderão ficar frente a frente com outros funcionários, e itens como talheres não serão compartilhados;

11. Os bebedouros só poderão ser utilizados com copos, para evitar contaminação por saliva;

12. Não serão recomendadas as provas de peças em provadores, mas caso haja necessidade e as cabines estão sendo higienizadas. A devolução de peças após a prova deverá ser feita em um roller ou em um balcão de apoio;

13. A fila de provadores               deverá ter marcações no chão, respeitando o distanciamento entre os clientes;

14. Nas lojas está sendo reforçada a higienização total de provadores (porta, mecanismo de abertura e travamento e espelho);

15. Em lojas de sapatos serão fornecidas meias descartáveis para prova de calçados e marcadores de piso para manutenção do distanciamento social. Bancos comuns nestes estabelecimentos já estão sendo higienizados com frequência;

16. Se houver bancos no interior da loja, alguns assentos deverão permanecer bloqueados para que nenhum cliente sente ao lado do outro. Será necessário disponibilizar um e bloquear o outro;

17. Rádios comunicadores (HT’s), microfones de alto-falantes do sistema de som e mesa interna serão higienizados a cada troca de equipe; o sistema interno das lojas irá reforçar as orientações aos clientes durante todo o tempo em que a loja estiver aberta;

18. A loja fará limpeza e higienização constante das áreas comuns como piso, espelhos entre outros equipamentos;

19. Na área destinada aos funcionários, itens como geladeira e microondas serão higienizados com maior frequência e o intervalo de café e almoço ou jantar serão espaçados para evitar aglomerações;

20. Itens metálicos como abertura de cofre, caixa de troco e chaves serão de acesso mais restrito. Chaves para abertura e fechamento ficarão em área segura e higienizados antes e após o uso.