Domingo, 11 de Abril de 2021

Dória despreza guarulhenses ao não enviar respiradores para o combate ao Covid-19 na cidade 

Governador enviou 105 respiradores para a Capital, além de outros para municípios da Grande São Paulo e das regiões de Campinas e Piracicaba

Por Redação GuarulhosWeb

31 de Maio de 2020 as 10:08

Nesta semana, o índice de ocupação de leitos de UTI em Guarulhos para tratamento de pacientes com Covid-19 chegou a 100%, deixando o sistema de atendimento próximo ao colapso. Neste sábado, 30/05, era de 84,9%. Mesmo com a segunda maior cidade do Estado apresentando estes números, o governador João Dória (PSDB) deixou de enviar respiradores para o município. De um lote de 360 que o Governo do Estado recebeu, mais de 100 foram para a Capital, onde a ocupação não supera 80%. Outras cidades da Grande São Paulo e das regiões de Campinas e Piracicaba também receberam os equipamentos fundamentais para manter vivas pessoas em estado mais grave da doença.  

No início de abril, a Prefeitura de Guarulhos solicitou 35 respiradores do Governo do Estado, que realizou uma compra milionária da China, pagando entre R$ 180 mil e R$ 220 mil por cada respirador, alegando que precisava desembolsar um valor bem mais alto do que o praticado no mercado devido à urgência na entrega. Quase 2 meses depois, os 3 mil respiradores comprados – e boa parte pagos de forma adiantada - não chegaram.

Há uma semana e meia, a Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos voltou a cobrar do Governo do Estado os respiradores. Recebeu como resposta que não sabia quantos seriam enviados e nem quando. Diante da urgência pelos equipamentos, a pasta então abriu um processo público de compra de 66 respiradores. O pregão eletrônico será realizado no próximo dia 4 de junho, quinta-feira. “Se o Governo do Estado enviasse os 35 solicitados, nossa compra seria menor. Mas como a vida não pode esperar, teremos de adquirir um lote maior e pagar o menor preço que vier a ser oferecido”, explicou o médico cardiologista José Mario Stranghetti Clemente, secretário municipal de Saúde, em entrevista a TV Globo neste sábado.  

Com esta aquisição, a Prefeitura espera aumentar em 50 o número de UTIs nos hospitais particulares e unidades de saúde, como UPAs e PA que atendem as urgências no município. Nesta segunda-feira, o município deverá começar a utilizar leitos locados de hospitais particulares, como forma de diminuir a ocupação e não permitir que o sistema entre em colapso. Na sexta-feira, o prefeito Guti anunciou que o Governo Federal irá liberar recursos para criar mais 20 UTIs no 3CGru, o hospital de campanha de Guarulhos. Com isso, Guarulhos deverá baixar o índice de ocupação para algo entre 70% e 80%.  

Outra importante colaboração que poderia vir do governo Dória está dentro de um dos hospitais estaduais da cidade. O Padre Bento conta com 9 leitos de UTI prontos para entrar em operação e atender pacientes de Covid-19. Só faltam os respiradores e o apoio médico. A Secretaria Estadual de Saúde nega, mas o GuarulhosWeb obteve relatos de pessoas que estiveram no interior do hospital nesta semana e confirmaram a informação.


Outro lado

Na tarde deste domingo, 31/05, o governo do estado enviou nota a respeito do assunto, relatando os investimentos e ações contra o Covid-19 em Guarulhos. Mas não mencionam o envio dos respiradores. Confira a nota:

"O Governo do Estado repassou mais de R$ 300 milhões aos municípios para fortalecimento da rede assistencial com foco no atendimento a pacientes com COVID-19. Especificamente para Guarulhos, o valor destinado foi de R$ 16,3 milhões.

Na cidade, há também dois hospitais estaduais, que atendem guarulhenses e usuários do SUS da Grande São Paulo, contando juntos com mais de 140 leitos exclusivos para COVID-19. São eles: como o Hospital Geral de Guarulhos (HGG) e Complexo Hospitalar Padre Bento. Ambos estão empenhados no enfrentamento à pandemia do coronavírus, com a missão de salvar vidas. 

No Padre Bento há 64 leitos exclusivos para casos da doença e todos estão em pleno funcionamento e à disposição da população. A unidade conta com 18 leitos de UTI adulto e 46 de enfermaria. Além disso, está em funcionamento o Centro de Triagem, num conteiner instalado especialmente para acolher os casos de sintomas respiratórios. Foram realizados cerca de 900 no setor.

O HGG conta com 77 leitos para casos de COVID-19, somando 42 de UTI adulto e 35 de enfermaria. Desde o início da pandemia, está mobilizado para atender pacientes suspeitos e confirmados do coronavírus.


Fluxos do SUS

A Secretaria de Estado da Saúde reforça a recomendação para que os pacientes com sintomas de COVID-19 procurem inicialmente serviços da atenção primária, como as UBSs, pois são a porta de entrada dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Os casos que requerem internação podem ser encaminhados para hospitais de referência do SUS, como os dois citados.

A pasta mantém esquema especial de gestão de leitos hospitalares, para dar prioridade à internação de pacientes com quadros respiratórios agudos e graves. Além disso, há suporte da Cross (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde), caso qualquer paciente precise ser transferido a unidade que possua recursos específicos, não disponíveis no serviço de origem do atendimento."