Terça Feira, 14 de Julho de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

FLEXIBILIZAÇÃO - Saiba quais são as exigências que estabelecimentos deverão obedecer para voltar a funcionar

Decreto estabeleceu fases para reabertura da economia, mas impôs regras para os estabelecimentos

Por Paulo Manso

04 de Junho de 2020 as 07:36

O decreto nº 36900, publicado nesta quarta-feira, 3 de junho, no Diário Oficial de Guarulhos, autorizou a reabertura de diversos setores não essenciais da economia, de acordo com determinados horários de funcionamento e protocolos de prevenção ao coronavírus.

Algumas atividades poderão reabrir no dia 15/06. Outras, no dia 22/06. Outras, ainda, em 6 de julho. Há quem só poderá reabrir em 20 de julho.


Saiba quais serão os protocolos que todas as atividades deverão obedecer para manterem suas atividade abertas após a flexibilização:


·       Intensificar as ações de limpeza;

·       Disponibilizar álcool em gel aos seus clientes e funcionários;

·       Efetuar o controle e a aferição de temperatura corporal em todos os clientes e funcionários, nos estabelecimentos acima de 100 (cem) metros quadrados, antes de ingressarem nas dependências dos estabelecimentos, por meio de termômetro infravermelho digital;

·       Divulgar informações acerca da COVID-19 e das medidas de prevenção;

·       Evitar a aglomeração de clientes ou frequentadores;

·       Disponibilizar máscaras de proteção aos funcionários, em atendimento ao público, podendo ser descartáveis ou de tecido;

·       Promover a demarcação no solo, nos espaços destinados às filas de clientes em atendimento, para que permaneçam em espera a uma distância mínima de 1 (um) metro, uns dos outros;

·       Os clientes somente poderão ser atendidos se estiverem utilizando máscaras protetivas;

·       Durante os serviços de entrega de mercadorias, os colaboradores responsáveis (motoboys) deverão utilizar máscaras de proteção, descartáveis ou confeccionadas em tecido;

·       Os estabelecimentos que ocasionarem filas no lado externo serão responsáveis pela organização das mesmas, por meio de funcionário utilizando máscara e apto a promover a orientação dos clientes, garantindo o distanciamento mínimo de 1 (um) metro entre cada pessoa e a disponibilização de álcool em gel às mesmas;

·       Limitar a 1 (uma) pessoa a cada 2 (dois) metros quadrados, de acordo com a área de atendimento, de maneira à sempre garantir o distanciamento mínimo de 1 (um) metro entre cada pessoa;

·       Na hipótese de não ser possível a disponibilização de álcool em gel, os estabelecimentos deverão garantir o acesso a pia com água e sabão, para a devida higienização das mãos, dos clientes e colaboradores.


Em todas as hipóteses definidas continuam proibidos os atendimentos às pessoas pertencentes ao grupo de risco ou com mais de 60 anos. Além disso, as datas poderão ser antecipadas ou adiadas de acordo com os índices de ocupação dos leitos de terapia intensiva disponíveis na cidade.