Segunda Feira, 19 de Abril de 2021

FLEXIBILIZAÇÃO – Conheça as regras que shoppings deverão seguir para reabrir em Guarulhos

Reabertura está autorizada para o dia 22/06, dependendo da redução da taxa de ocupação de leitos de UTI na cidade

Por Paulo Manso / Foto: Fabio Nunes Teixeira

05 de Junho de 2020 as 07:58

O decreto nº 36900, publicado na quarta-feira, 3/06, no Diário Oficial de Guarulhos, autorizou a reabertura de diversas atividades econômicas não essenciais, de acordo com determinados horários de funcionamento e protocolos de prevenção ao coronavírus.

Os shoppings centers poderão reabrir no dia 22/06, caso a taxa de ocupação hospitalar seja reduzida até lá. Outras atividades, no dia 15/06. Outras, ainda, em 6 de julho. Há quem só poderá reabrir em 20 de julho e 1º de agosto.


SAIBA QUAIS SÃO AS REGRAS PARA AS IGREJAS

SAIBA QUAIS SÃO OS PROTOCOLOS EXIGIDOS PELA PREFEITURA PARA TODAS AS ATIVIDADES


Saiba quais serão os protocolos que os shoppings deverão obedecer para manterem suas atividades abertas após a flexibilização:


·       funcionamento das 14h às 20h;

·       limitar a utilização do estacionamento a somente 25% de sua total capacidade;

·       permitir o funcionamento das lojas e restaurantes ao redor das praças de alimentação, apenas para os serviços de entrega ou retirada de mercadorias (delivery, drive-thru e takeaway), ficando expressamente proibido o consumo no local ou nas praças de alimentação;

·       disponibilizar serviço especializado de controle e aferição de temperatura corporal, para todos os clientes, antes de ingressarem nas dependências dos shopping centers;

·       limitar a permanência de clientes em atendimento ou em circulação a no máximo 25% da capacidade total permitida para cada estabelecimento, evitando aglomeração de pessoas;

·       os clientes dos estabelecimentos deverão ser atendidos de forma exclusiva, ou seja, os funcionários não poderão atender mais que um cliente de maneira simultânea;

·       deverá ser respeitada e garantida a distância mínima de 2 (dois) metros quadrados da área de venda para cada pessoa em seu interior; e

·       proibir o funcionamento das salas de cinema, parques de diversão, pistas de boliche e demais atividades que ainda não foram liberadas por decreto do Executivo.


Em todas as hipóteses definidas continuam proibidos os atendimentos às pessoas pertencentes ao grupo de risco ou com mais de 60 anos. Além disso, as datas poderão ser antecipadas ou adiadas de acordo com os índices de ocupação dos leitos de terapia intensiva disponíveis na cidade.