Domingo, 18 de Abril de 2021

Deputados que invadiram hospital de campanha em SP constatam bom atendimento no HMU

Há dez dias, o grupo esteve no hospital de campanha do Anhembi, na capital. Na ocasião, dos 1800 leitos, 407 estavam ocupados

Por Redação GuarulhosWeb

15 de Junho de 2020 as 17:30

O grupo de Parlamentares em Defesa do Orçamento (PDO), formado por deputados estaduais que têm fiscalizado hospitais de campanha na Grande São Paulo, esteve em Guarulhos nesta segunda-feira, 15/6, para fiscalizar uma possível inutilização de leitos de UTI reservados para o combate ao Covid-19 no Hospital Municipal de Urgências (HMU).

Ao lado do prédio principal do local, a Prefeitura está construindo uma tenda que será exclusiva para o atendimento das demais enfermidades. "Nós estamos no HMU em mais uma atividade e nesta semana vários vídeos percorreram sobre essa tenda, que não estaria sendo utilizada. Nós apuramos que aqui vai ser invertido o atendimento. O atendimento para o Covid está acontecendo no prédio principal que todos conhecem e aqui serão alguns leitos para atendimento de outras enfermidades. A previsão é que essa tenda seja inaugurada na sexta-feira agora, dia 19", disse, em vídeo o deputado Márcio Nakashima (PDT).

"Aqui no HMU temos 46 leitos reservados para o Covid, sendo que 10 são para UTI e estão todos utilizados. Desde o início da pandemia ocorreram 169 óbitos neste hospital e 98 foram confirmados com Covid", completou o deputado Coronel Telhada (Progressistas).

"Quero parabenizar os profissionais da área de saúde pelo excelente serviço que têm prestado. Doria e Covas falaram que nós ofendemos os funcionários, empurramos, enfim não é do nosso feitio. O investimento do Estado aqui em Guarulhos foi de apenas 10 respiradores. Nada mais", concluiu Telhada.

Há dez dias, o grupo esteve no hospital de campanha do Anhembi, na capital. Na ocasião, dos 1800 leitos, 407 estavam ocupados. Os parlamentares foram duramente criticados pelo governador João Doria e pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas. “A Prefeitura de São Paulo reitera total repúdio a atitudes violentas e ações deliberadas para tentar enganar a opinião pública”, criticou, em comunicado à imprensa, a gestão de Covas.