Quarta Feira, 08 de Julho de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

EUA: Biden aparece 14 pontos à frente de Trump em pesquisa de intenção de voto

EUA; eleições; pesquisa; NYT

Por Eduardo Gayer

24 de Junho de 2020 as 09:45

O candidato à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, Joe Biden, lidera com ampla vantagem a primeira pesquisa de intenção de voto realizada pelo jornal americano The New York Times em parceria com o Siena College, publicada na manhã desta quarta-feira, 24.

Com 50% das intenções de voto, Biden aparece 14 pontos porcentuais à frente do presidente Donald Trump, que busca a reeleição e detém a preferência de 36% dos entrevistados.

A eleição presidencial nos EUA deste ano está marcada para o dia 3 de novembro.

Os outros 14% correspondem àqueles que não souberam responder, ou não vão comparecer às urnas - o voto, nos EUA, não é obrigatório - ou pretendem votar em outro candidato.

A pesquisa entrevistou 1.

337 pessoas entre 17 de junho e 22 de junho.

De acordo com o The New York Times, Biden, que foi vice-presidente dos Estados Unidos na gestão Barack Obama, apresenta vantagem especial entre mulheres, negros e hispânicos.

Ainda segundo a pesquisa, a maioria da população desaprova o tratamento dado por Trump à pandemia de covid-19.

"Apenas um terço dos eleitores diz que o governo deveria se concentrar em reativar a economia, mesmo que isso implique maiores riscos à saúde pública", traz a reportagem publicada pelo jornal.

O republicano Donald Trump enfrente uma série de desafios para conquistar um segundo mandato.

Os Estados Unidos são a nação que registra mais casos do novo coronavírus em todo o mundo, com mais de 2 milhões de infecções confirmadas, e fortes impactos na economia.

O desemprego já está na casa dos dois dígitos.

Além disso, o país assistiu, recentemente, a intensos protestos antirracistas após o assassinato de George Floyd, ex-segurança negro asfixiado por um policial branco.

As manifestações foram reprimidas e criticadas pela Casa Branca, que ameaçou utilizar as Forças Armadas para contê-las.