Quinta Feira, 13 de Agosto de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

RESENHA GWEB – Heróis adultos chegam à Netflix com “The Old Guard”

O que sobra neste “The Old Guard” é aquela velha opinião formada sobre tudo

Por Denis Le Senechal Klimiuc, especial para o GuarulhosWeb

17 de Julho de 2020 as 10:44

Andy é uma guerreira imortal, que descobriu essa espécie de poder há muitos anos e, desde então, usa os seus dons para proteger os fracos e oprimidos. Assim como ela, há um pequeno grupo com as mesmas vantagens físicas perenes, o que o transforma esse “The Old Guard” em uma espécie de X-Men e Vingadores, mas muito mais pé no chão.

Charlize Theron é Andy e, como demonstrou em filmes como “Mad Max: Estrada da Fúria” e “Atômica”, sua vertente para o cinema de ação é tão boa quanto sua veia dramática, responsável por lhe render o Oscar de atuação principal por “Monster - Desejo Assassino”. Ou seja, é uma atriz completa e está, mais uma vez, em um novo pico de sua carreira.

Para nós, espectadores, Theron é um presente. Com a premissa de super-heróis mais adultos, o filme nos conquista com suas cenas de ação muito bem orquestradas, além da violência enraizada na realidade, algo difícil em filmes de herói.

O vilão, por outro lado, não poderia ser mais caricato: dono de indústria farmacêutica quer o corpo dos heróis para explorá-lo quimicamente e comercializar o potencial da imortalidade. Infelizmente, o filme perde alguns pontos com esse arco bobo e ultrapassado, o que poderia ter sido substituído por mais ação e alguns bons questionamentos existenciais.

Não que o filme não os faça. Alguns personagens datam das Cruzadas ou da época de Napoleão Bonaparte, o que soa divertido e curioso, tendo em vista que estão perambulando em um mundo resultante de tudo o que viveram séculos atrás. Outros tantos personagens lamentam as mortes de pessoas queridas, construindo uma carcaça imune à dor e ao sofrimento. Mas essas premissas não vão adiante.

O que sobra neste “The Old Guard” é aquela velha opinião formada sobre tudo. Heróis fugindo e lutando, vilão caçando e rindo alto. Caricatura aqui, clichê ali. No final das contas é um bom desperdício, restando a nós, espectadores, sairmos satisfeitos com a magistral Charlize Theron e pensativos sobre o que este filme poderia ter sido.

 

Opinião Gweb

Nota do filme (de 0 a 5): 2

Recomendado? Sim. Há muito o que ser aprimorado neste filme, mas ainda assim ele diverte e oferece uma história de heróis diferente do que costumamos ver.

Onde assistir: Netflix

 

Serviço

The Old Guard

Ano: 2020

País: Estados Unidos

Duração: 125 min.

Direção: Gina Prince-Bythewood

Classificação: 16