Quinta Feira, 15 de Abril de 2021

AVALIAÇÃO - Nova Fiat Strada sobe de patamar em sua versão top de linha 

  O GuarulhosWeb avaliou a versão Volcano da Nova Fiat Strada, sensação entre as picapes compactas 

Por Ernesto Zanon - Especial para o GuarulhosWeb

09 de Agosto de 2020 as 19:03

 Durante uma semana, o GuarulhosWeb avaliou a Nova Fiat Strada, picape completamente renovada em sua versão 2021, lançada há pouco mais de um mês. Para conhecer a segunda geração do modelo, a Fiat ofereceu a top de linha Volcano, equipada com motor 1.3, cabine dupla e completinha de série. Impossível não associá-la a Toro, a picape média que vem fazendo grande sucesso também. Visualmente, é a Torinho ou mini-Toro como já é chamada.  

Realmente, trata-se de um carro diferente da versão anterior, lançada no final da década de 90 e que veio nestes mais de 20 anos sendo aprimorada. Desta vez, as mudanças são bem drásticas, incorporando o visual dos últimos lançamentos da Fiat. Antes da avaliação, cabem algumas considerações em relação ao papel das picapes compactas junto ao consumidor. Elas surgiram nos anos 90 como opções para transportes na área urbana, com cabine simples e carrocerias pequenas, mas ideais para levar pequenas encomendas. Nesta época, surgiram a Chevy, derivada do Chevrolet Chevete, a Fiorino e LX, que vinha do Fiat Uno, a Saveiro da linha Volkswagen Gol e a Pampa, quase um Ford Corcel II cortado. Começaram a surgir versões mais esportivas, para quem queria carregar materiais esportivos no fim de semana, entre outras utilidades.  

Em um segundo momento, começaram a surgir alguns modelos com cabine estendidas, com espaço atrás dos bancos para pequenos volumes. As duplas vieram depois, mas com um dilema difícil de ser resolvido até hoje. Ao se privilegiar espaço para passageiros – que se apertavam no banco traseiro – invariavelmente a caçamba acabava sacrificada, tornando-se inviável para o uso comercial propriamente dito. Mesmo assim, as picapinhas com cabine dupla, aposta da Fiat e da VW em um segundo momento com a Saveiro, ganharam aficcionados.  

Andar no banco traseiro de uma picape compacta cabine dupla era tarefa das mais difíceis. Com acesso difícil, a sensação de enclausuramento era notória, até que a Fiat lançou a Strada com a terceira porta, que era reversível e apenas do lado direito. A solução não resolveu o problema de falta de espaço, já que ir ali invariavelmente obrigava motorista e passageiro da frente a avançar os bancos e ter ainda os joelhos apartados. Mesmo assim, a caçamba seguia prejudicada com o espaço reduzido.  

Com o Novo Strada, a Fiat resolveu o problema da caçamba na versão cabine dupla, que agora oferece ótimo espaço para cargas. São 844 litros de capacidade, até a altura da caçamba. Para os passageiros, a boa intenção está na adoção quatro portas, o que a deixa com facilidade grande de acesso pelos dois lados. Apesar do fabricante garantir que ela carrega cinco pessoas, não é fácil acomodar cinco adultos ali. Se forem três crianças no banco de trás, perfeito. Mas se forem um pouco maiores, se os trajetos forem mais longos, não tem jeito. Não há milagres. Quem vai atrás, se os bancos da frente não forem adiantados, se sentirá como em carros compactos, como o Mobi – para não avançar a outra marca. Porém, há que se registrar. O consumidor da picape compacta cabine dupla tem consciência dessas limitações naturais. Não há nada no mercado algo melhor nesta categoria.  

 

Cobiçada

Já em termos de visual, o Novo Strada é só elogios. Tem a frente elevada, com destaque para os faróis de LED afilados com luzes DRL (Daytime Running Light). A grade imponente abriga o logo da marca no centro da peça e traz o discreto e elegante Fiat flag, um toque italiano, que compõe a nova identidade visual que os carros da fabricante receberão daqui para frente. O capô tem vincos. Na lateral, a linha de cintura ascendente destaca as caixas de rodas quadradas e esculpidas. Na traseira, as lanternas funcionam como uma assinatura do modelo.  

 Agora a Nova Strada tem maior altura do solo (de até 214 mm). Os ângulos de entrada (de até 24º) e saída de obstáculos (até 28º) estão entre os melhores da categoria. No dia-a-dia, em meio ao trânsito urbano, isto indica maior facilidade para enfrentar as valetas, lombadas e até mesmo as imperfeições de nossos asfaltos. O novo posicionamento da suspensão traseira permitiu maior vão de carga na caçamba. A capacidade de carga varia de 650 kg na versão para cinco ocupantes para até 720 kg na configuração de entrada.  

Equipada de série 

A Nova Strada Volcano Cabine Dupla, que tem preço sugerido de R$ 81,9 mil, conta com direção com assistência elétrica, sensor de pressão dos pneus, volante multifuncional, retrovisores elétricos, quadro 3,5” de TFT, capota marítima e, entre outros itens, rodas de liga leve, impulsionadas pelo motor 1.3 Firefly de quatro cilindros, com 109 cv de potência a 6.250 rpm e 14,2 kgfm de torque (etanol); com gasolina, são 101 cv a 6.000 rpm e torque de 13,7 kgfm a 3.500 rpm. 

Durante a avaliação, abastecida com etanol, no uso urbano o consumo ficou na casa dos 6 a 7 km/l. Já na estrada, a marca saltou para mais de 10 km/l, saltando até a 12 km/l, quando se exigiu menos do motor. Mas a performance agradou nos dois ciclos. Em quinta marcha, por exemplo, ela subiu a serra entre Guarulhos e o túnel da Mata Fria, em Mairiporã, sem exigir a quarta, mesmo quando era necessário diminuir a velocidade. A retomada se dava no pé, sem qualquer dificuldade. O câmbio manual também não deixa a desejar, com trocas fáceis e precisas.  

O conforto interno também agrada, principalmente pelo bom número de equipamentos ofertados. A nova central multimídia Uconnect 7”, bastante intuitiva, conta com tela sensível ao toque de sete polegadas, com recursos como Apple CarPlay e Android Auto com projeção sem fio (wireless). É possível parear até dois smartphones. Fácil de utilizar o Waze e Google Maps; música (Streaming | MP3); reconhecimento de voz (Siri | Google Voice); leitura e resposta de mensagem “handsfree” para SMS e WhatsApp, por exemplo; e integração com calendário. 

A tela é personalizável e exibe controle de todas as funções do veículo. Além disso, tem baixo reflexo diurno e brilho ajustável. O sistema dá suporte a múltiplas conexões via Bluetooth e conta com computador de bordo. Há ainda uma segunda porta USB à disposição dos passageiros. 

Na versão Volcano avaliada, disponível também os vidros traseiros elétricos, bancos em couro/tecido, câmera de ré, volante em couro, faróis em LED e sensor de estacionamento. A versatilidade do modelo fica ainda mais evidente com itens como capota marítima, barras longitudinais no teto e de proteção (santantônio), além dos pneus 205/60 R15 ATR.  

Vale salientar que a versão cabine dupla conta com quatro airbags de série, cintos de segurança frontais com pré-tensionadores e limitadores de carga, e bancos que protegem os ocupantes do efeito chicote (whiplash) na coluna cervical em acidentes. A proteção para crianças conta com Isofix complementada por Top Tether, ancoragem superior que impede a rotação de cadeira infantil.