Quinta Feira, 15 de Abril de 2021

Dono do Greguinho reclama de desvalorização do Centro e fecha tradicional restaurante

O proprietário, Flávio Rios, decidiu fechar as portas do Greguinho no último fim de semana

Por Katia Russões

31 de Agosto de 2020 as 14:50

O Greguinho, um dos mais tradicionais restaurantes de Guarulhos, encerrou suas atividades no último domingo, 30/08. O estabelecimento ficou aberto por 47 anos e era um dos pontos de encontro mais conhecidos da cidade. Localizado ao lado da Igreja Matriz, o espaço precisou se adaptar às diversas mudanças que aconteceram na região ao longo das quatro décadas.

O proprietário, Flávio Rios, contou para o GuarulhosWeb que a decisão de fechar as portas não foi repentina. “Há algum tempo eu pensava em encerrar as atividades. O Centro está esquecido. Não tem lugar para estacionar o carro, houve mudanças nas linhas de ônibus e não pude mais deixar as minhas cadeiras na calçada como antigamente”, explicou.

Flávio conta que foi incluído em uma ação, onde ficou proibida a permanência de clientes em mesas na calçada. Com o tempo, os bares da região foram retirados, os clientes estrangeiros, que procuravam o local, não se sentiam à vontade sem a disposição dos lugares e as mudanças foram provocando uma queda no movimento. Com a pandemia e as medidas para evitar o contágio do Covid-19, o problema se agravou.

“O Centro foi completamente desvalorizado e a Paulo Faccini valorizada demais. Mas lá ninguém cria raízes, os comércios abrem e fecham”, apontou.

Após o fechamento do Greguinho, Flávio está se dedicando completamente ao seu novo estabelecimento, no Tucuruvi, em São Paulo: o Jangada Velho Chico, que tem previsão de abertura para outubro de 2020. “Ainda não abrimos por conta da pandemia. Acredito que em outubro a flexibilização facilite”, contou.

Assim como no Greguinho, o novo negócio de Flavio deve funcionar no almoço e no jantar e servir refeições e petiscos.