Quinta Feira, 15 de Abril de 2021

AVALIAÇÃO - Chevrolet Spin Activ7 se consolida como opção interessante à epidemia de SUVs

Por Ernesto Zanon - Imagens Danilo Sanches

27 de Janeiro de 2021

O Chevrolet Spin foi lançado em 2012 no Brasil. A princípio, causou certa estranheza no mercado até pelo seu visual e por ter a difícil missão de substituir ao mesmo tempo dois modelos bem aceitos pelos consumidores: Meriva e Zafira. Demorou para cair no gosto das famílias e até ficou estigmatizado como carro para taxista. Já oferecia naquele momento excelente espaço interno, capacidade para transportar até 7 pessoas e desempenho satisfatório com o motor 1.8.  


Quase nove anos se passaram e o Spin foi se transformando, agradando outros públicos. Hoje é opção interessante para quem não quer embarcar no mundo dos esportivos utilitários, a onda do momento.  


O visual da linha 2021 agrada bastante. Principalmente, a versão Activ7, avaliada desta vez. Com apelo mais aventureiro, traz novos itens de acabamento e segurança. Ganhou o controle eletrônico de estabilidade e tração como item de série em todas as configurações. Na prática, diminui muito o risco de perda de controle do veículo em condições extremas. Ou seja, o carro fica na mão até naqueles momentos mais complicados.  


O Spin agora tem também assistente de partida em aclive, muito útil em saídas de semáforos e manobras em planos inclinados. Por dentro, destaque para novo grafismo do painel de instrumentos. Nesta versão Active, uma série de detalhes, como a costura dos bancos, chama a atenção e dá um ar de bom gosto ao veículo.  

O controlador de limite de velocidade também está disponível desde as configurações intermediárias. Teclas no volante permitem ao motorista determinar a velocidade máxima que o carro poderia alcançar em acelerações para evitar multas de trânsito, por exemplo. 


Em relação a parte mecânica, a principal alteração fica por conta da nova geração da transmissão automática de seis marchas, de funcionamento mais suave e eficiente. A AT6 recalibrada trabalha em harmonia com o motor 1.8 SPE/4 ECO Flex de até 111 cavalos de potência. Mantém a escrita da marca, já que eles têm ótima sintonia que se reflete em um dirigir tranquilo, sem solavancos ou forçadas inconvenientes.  


Para finalizar, vale destacar alguns detalhes desta versão aventureira do Spin. Além da adoção da gravata Chevrolet com fundo preto, a cor passa a dar o tom também para os acabamentos de vários itens externos (a grade frontal, das molduras centrais inferiores do para-choque dianteiro e traseiro além dos estribos laterais e do rack de teto em formato de “U”).  


Peças escuras com pintura fosca e outras com cobertura brilhante criam uma perfeita combinação com os demais detalhes visuais do veículo e ajudam a acentuar sua esportividade, incluindo as rodas aro 16, faróis com máscara negra e guias de LED. 

O porta-malas pode chegar a 756 litros com a segunda fileira de bancos toda avançada. Isto é quase o dobro da capacidade de alguns SUVs da concorrência. 


O crossover da Chevrolet conta com acabamentos premium na cabine. A conectividade fica por conta do multimídia MyLink com Android Auto e Apple CarPlay além do sistema de telemática avançada OnStar com seus serviços exclusivos de segurança e proteção patrimonial. 


A versão Activ7 vem com ar-condicionado, direção elétrica, transmissão automática, câmera de ré com linhas guias, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, entre outros. Tudo isso pode ser seu por pouco mais de R$ 101 mil.