Segunda Feira, 19 de Abril de 2021

Guti terá audiência com Estado para discutir quantidade de vacinas recebidas por Guarulhos

Questionado sobre os motivos que levariam Guarulhos, segunda maior cidade de São Paulo, a receber menos vacinas do que Campinas, Doria disse que 'quem comanda o programa de vacinação no Brasil é o Ministério da Saúde'.

Por Redação GuarulhosWeb

20 de Fevereiro de 2021 as 15:22

"Quem comanda o programa de vacinação no Brasil é o Ministério da Saúde, não o Estado". Essa foi a frase do governador João Doria ao ser questionado, em coletiva de imprensa na manhã deste sábado, 20/2, sobre os motivos que levariam cidades como Campinas e São Bernardo, com populações menores, a receber mais vacinas do que Guarulhos, segunda maior população do estado, com quase 1,4 milhão de habitantes.

De acordo com os dados atualizados às 10h30 deste sábado, Campinas aplicou mais de 74 mil vacinas, número cerca de 74% maior do que Guarulhos, que imunizou pouco mais de 43 mil e suspendeu a campanha por falta de unidades. Contudo, o município do interior soma 1,2 milhão de habitantes, 200 mil a menos do que a cidade administrada por Guti.

"Quem estabelece a proporcionalidade por população de estado e dos municípios é o Programa Nacional de Imunização, o qual nós seguimos. Se um dia o PNI apresentar um programa errático, nós adotaremos outro. Mas, por enquanto, este é o programa que foi adotado nos últimos 52 anos, com algumas falhas do Ministério da Saúde. Mas, a equipe técnica que cuida dessa área, felizmente não é uma equipe de coronéis, generais ou identificadas ideologicamente com o governo ", complementou Doria.

Na próxima terça-feira, 23/2, o Brasil deve receber mais 3 milhões de doses da Coronavac e, até o fim da semana, um lote da vacina de Oxford, com 2 milhões de unidades, também deve desembarcar em solo brasileiro. "A grade é proporcional e os prefeitos devem seguir também a orientação do PNI e do programa estadual de imunização. Não podem avançar faixas etárias, ainda que tenhamos esse desejo. Com a nova entrega do Butantan e da Astrazeneca, uma nova distribuição será feita aos estados e municípios brasileiros", finalizou o governador.

Guarulhos pediu audiência

O prefeito Guti foi procurado para saber se Guarulhos tomaria alguma decisão a respeito do baixo número de vacinas. Ele afirmou à reportagem que pediu uma audiência para tentar entender, de fato, qual o critério adotado na distribuição das doses. "A gente só quer proporcionalidade na distribuição das vacinas. Eu, como prefeito, vendo números, posso dizer que, a gente está recebendo menos em relação a algumas cidades similares. Então por isso vou pedir uma audiência pra falar sobre isso", disse Guti.

Ainda no evento de inauguração da Praça da Cidadania, no Pimentas, Guti garantiu que conversou pessoalmente com Doria a respeito do assunto e que o governador ratificou a informação de que a distribuição era responsabilidade do Ministério da Saúde. "Eu mostrei os números pra ele (Dória). Alguma coisa está acontecendo e antes de cobrar, eu preciso entender. Ele me disse que quem cuida disso é realmente o Plano Nacional. A gente vai procurar entender com o governo federal porque a cidade está recebendo a menos e espero que, na próxima leva, a gente tenha a proporcionalidade respeitada", concluiu o prefeito. 

Doria não descarta revisar os dados do Plano Nacional de Imunização e pediu para que, na próxima semana, Guti se reúna com a diretoria responsável pela distribuição da vacina na Secretaria estadual da Saúde para entender o critério adotado.