Quinta Feira, 22 de Abril de 2021

ACE-Guarulhos vai atrás de socorro a comerciantes em cobranças de água, luz, gás e aluguel

Presidente Silvio Alves entregou ofícios às concessionárias solicitando medidas para amenizar a situação caótica de empresários de serviços não essenciais da cidade

Por Redação GuarulhosWeb

02 de Março de 2021 as 11:13

No pior momento da pandemia do coronavírus, com números cada dia mais altos de casos e mortes, a crise sanitária avança de forma impiedosa também para o setor produtivo. Comerciantes e prestadores de serviços não essenciais estão de portas fechadas durante a chamada Fase Emergencial – a mais restritiva do Plano SP de quarentena – e têm dificuldades de manter vivo seu sustento.

Nesta semana a Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos voltou a procurar concessionárias de serviços de energia elétrica, água, gás e as imobiliárias – assim como já havia feito na “primeira onda” da pandemia, em 2020 – para pedir socorro aos empresários associados.

Acompanhado do superintendente Maurici Dias Gomes, o presidente Silvio Alves foi recebido, nesta quarta-feira, 31/03, pelo gerente de departamento da Sabesp, Valdemir Freitas, na sede administrativa da companhia, no Gopoúva.

“As empresas, em especial as micro e pequenas, serão fundamentais no pós-crise, pois, podem retomar as atividades e gerar novos postos de trabalho em curto espaço de tempo. Mas, para isso, elas precisam sobreviver. De portas fechada e sem receita, é imprescindível o auxílio do poder público e de concessionárias como a Sabesp”, explicou o presidente.

No documento entregue, a ACE-Guarulhos solicita o adiamento ou isenção do pagamento de contas de água/esgoto para os associados à entidade enquanto perdurar o fechamento comercial. “Não está havendo consumo. Por isso, pedimos que os comerciantes não essenciais sejam isentos da cobrança de tarifa mínima e que o acumulado do período seja parcelado, com início do pagamento no segundo semestre deste ano”, aponta Silvio, que também pediu para que nenhum associado tenha o fornecimento suspenso neste período.


Sem cortes

Valdemir Freitas afirmou que já está garantido o compromisso de não cortar o fornecimento de água aos comerciantes durante esse período de fechamento dos serviços não essenciais. “Isso já está pactuado. Não haverá cortes. Além disso, já estamos oferecendo o parcelamento dos débitos, em 12 vezes, sem a cobrança de juros ou multa”, explicou o gerente da Sabesp.

O gerente de divisão da companhia, Cristiano Oliveira, disse ainda que os comerciantes podem usar uma ferramenta para evitar a cobrança pela média de consumo (que é feita quando os leituristas não conseguem acessar os hidrômetros). “É possível que o próprio comerciante fotografe a leitura e envie para o aplicativo Sabesp Fácil. Ou mesmo pelo nosso WhatsApp, que funciona exclusivamente para Guarulhos, no número (11) 95976-3843”, disse.


Luz, gás e aluguel

Da Sabesp, o presidente Silvio Alves foi até o escritório da EDP, concessionária de energia elétrica de Guarulhos. Lá o dirigente também protocolou ofício solicitando ajuda aos comerciantes associados. “É um momento pelo qual essa geração nunca havia passado. Precisamos da sensibilidade de todos. Pedimos à EDP a isenção da cobrança de tarifa mínima durante esse período de fechamento. Além do parcelamento dos débitos excedentes e o compromisso de não cortar o fornecimento”, afirmou Silvio.

Ofício com o mesmo teor foi enviado à Comgás, companhia que fornece gás natural na cidade.

No período da tarde, na sede da ACE, Silvio recebeu o delegado regional do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI) em Guarulhos, Donizete Araújo Branco. “Sem poder utilizar seus pontos comerciais, sugerimos ao CRECI a intermediação junto aos proprietários para que seja providenciado um parcelamento das locações, sem a incidência de multa, juros e correção monetária. E com o maior prazo possível, respeitando, é claro, as particularidades de cada contrato”, sugeriu o presidente.

Donizete se mostrou compreensível ao pleito. “É muito necessária essa ação. Todos estamos sofrendo com esse momento atípico. No entanto, dependemos da sensibilidade de cada proprietário locador e, também, do que diz cada contrato firmado. Mas iremos encaminhar sim essa demanda com os corretores”, afirmou.

Além do documento entregue ao CRECI, a ACE-Guarulhos encaminhou ofícios diretamente às imobiliárias Aliança, Almasa, Alpha, ACD, Américo, Aquino, Continental, D.C., Degalli, Dimarco, Hernandez, Mestre, Vila Galvão, Steiner e Zuccaro.