Estadão

Academia de Hollywood condena ação de Will Smith e estuda punição

Na manhã seguinte à agressão do ator Will Smith ao comediante Chris Rock, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood soltou um comunicado em que comenta o ocorrido – na noite anterior, durante a festa do Oscar, Smith esbofeteou Rock, depois de um comentário irônico feito pelo comediante a respeito da mulher do ator, Jada Pinkett Smith.

"A Academia condena as ações do Sr. Smith no show de ontem à noite. Iniciamos oficialmente uma revisão formal em torno do incidente e exploraremos outras ações e consequências de acordo com nossos Estatutos, Padrões de Conduta e a lei da Califórnia", diz o comunicado, que continua: "A Academia não tolera violência de nenhuma forma".

Essa investigação pode fazer com que Smith seja, na pior das hipóteses, expulso da Academia ou que sofra algum tipo de suspensão da organização e de seus eventos, incluindo o Oscar do ano que vem. Não se comentou sobre a possibilidade de o ator perder o Oscar que ganhou pela atuação no filme King Richards: Criando Campeãs.

A seriedade com que a Academia reagiu ao incidente fez com que o produtor da cerimônia, Will Packer, mudasse o tom de seu comentários. Inicialmente, ele comentou da seguinte forma: "Eu disse que não seria chato #Oscars".

A observação atraiu muitas críticas, como a de um usuário do Twitter: "Fazer piadas sobre um ataque que aconteceu durante o seu show não é a mensagem de felicitações que você pensa que é".

Packer respondeu: "Os negros têm um espírito desafiador quando se trata de lidar com a dor, porque há muito disso. Não sinto a necessidade de elucidar isso para você. Mas também não me importo de ser transparente e dizer que este foi um momento muito doloroso para mim. Em muitos níveis."

Embora Chris Rock tenha se recusado a registrar um boletim de ocorrência contra Smith, ele tem até seis meses para fazê-lo, caso queira. Segundo a imprensa americana, se Smith fosse acusado de agressão, poderia, na pena máxima, passar até seis meses na prisão, além de uma multa de até US$ 100 mil.