Economia

Acionistas do Santander aprovam oferta relativa a Brasil

Acionistas do Santander aprovaram nesta segunda-feira, 15, em reunião uma proposta de aumento de capital para a compra da participação de 24,75% que o banco espanhol ainda não possui na subsidiária brasileira.

Apesar da aprovação, alguns acionistas haviam se queixado da oferta de compra quando o Santander a anunciou, em abril. Alguns deles alegam que o banco os colocou numa situação difícil. Não aceitando a oferta, os acionistas ficariam com ações sem liquidez e difíceis de vender. Por outro lado, ao concordar com a proposta, eles vendem as ações num momento em que, segundo acreditam, o preço do papel está para se recuperar.

A subsidiária brasileira é responsável por cerca de 20% do lucro líquido do Santander, fatia semelhante à da unidade britânica do banco.

Em seu primeiro evento oficial como presidente global do Santander, Ana Patricia Botín prometeu aos acionistas continuar o trabalho de seu pai, ex-dirigente do banco que faleceu na semana passada. Emílio Botín foi presidente do Santander por quase 30 anos antes de sofrer um ataque cardíaco, na última quarta-feira, 10.

Sobre o Brasil, a nova presidente do Santander disse esperar ver crescimento das exportações agrícolas, do setor de energia e da área de construção para a classe média do País. Esses fatores “nos dão confiança na atratividade da economia brasileira e que (o Brasil) vai superar o período de desaceleração econômica que enfrenta no momento”, disse Ana Patricia.

Por volta das 7h40 (de Brasília), as ações do Santander tinham queda marginal de 0,17% na Bolsa de Madri. Fonte: Dow Jones Newswires.