Cidades

Alckmin nomeia 10,3 mil professores para atuar na rede estadual

Profissionais têm até 30 dias para tomar posse dos cargos e depois poderão participar da atribuição de aulas prevista para a segunda quinzena de janeiro

O governador Geraldo Alckmin nomeou mais 10.360 professores que deverão começar a lecionar a partir de 2013. Desses, 2.381 são para escolas estaduais da Região Metropolitana de São Paulo e 7.979 são para unidades do interior. Desde janeiro de 2011, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo já havia nomeado cerca de 23 mil docentes do certame realizado em março de 2010.

"Anunciamos várias medidas para terminar bem o ano e começar melhor ainda 2013, na área da educação. E a primeira é a nomeação de 10.360 professores concursados que já em fevereiro estarão a postos, trabalhando. Com isso, completamos nesses 24 meses, 34 mil professores concursados que foram nomeados", ressaltou Alckmin.

Os novos professores têm até 30 dias para tomar posse dos cargos (prorrogáveis por igual período) e depois poderão participar da atribuição de aulas prevista para a segunda quinzena de janeiro de 2013.

Os ingressantes receberão um salário inicial de R$ 2.088,27 para a jornada de 40 horas. Contando com os adicionais por tempo de serviço, o professor ingressante na rede estadual poderá, em pouco mais de 20 anos, alcançar um vencimento equivalente a R$ 9.720,85, conforme a Estrutura de Cargos e Salários já definida por lei.

Os nomeados foram aprovados no curso de formação específica promovido pela Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores (EFAP) "Paulo Renato Costa Souza", iniciado em agosto. A aprovação exige nota igual ou superior a cinco de um total de 10 pontos na prova final. Participaram do exame apenas os docentes que cumpriram um mínimo de 75% do total das atividades propostas a cada mês para o curso, além de terem participado integralmente de pelo menos dois encontros presenciais.