Estadão

Bolsas da Ásia fecham mistas, expondo cautela antes de dados de inflação dos EUA

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta quinta-feira, 24, após operarem dentro de uma faixa estreita, seguindo comportamento semelhante ao de Wall Street e adotando tom cauteloso antes de novos dados de inflação dos EUA.

O índice japonês Nikkei ficou estável em Tóquio hoje, em 28.875,23 pontos, e o chinês Xangai Composto também praticamente não se alterou, com alta marginal de 0,01%, a 3.566,65 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng subiu 0,23% em Hong Kong, a 28.882,46 pontos, o sul-coreano Kospi se valorizou 0,30% em Seul, ao nível recorde de 3.286,10 pontos, e o Taiex avançou 0,41% em Taiwan, a 17.407,96 pontos, mas o Shenzhen Composto – índice chinês de menor abrangência – recuou 0,50%, a 2.415,36 pontos.

Na quarta-feira, as bolsas de Nova York fecharam mistas e perto da estabilidade, após um dirigente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) sugerir que o primeiro aumento de juros no país poderá vir já em 2022.

Investidores aguardam o chamado índice PCE de inflação dos EUA referente a maio, que será divulgado na sexta-feira (25) e é a principal referência de preços do Fed. No mês passado, a inflação anual americana medida pelo CPI atingiu 5%, o maior nível em 13 anos. Crescentes pressões inflacionárias podem levar o Fed a antecipar o aperto de sua política monetária.

Na Oceania, a bolsa australiana foi para o vermelho na última hora do pregão, embora o governo local tenha decidido contra a imposição de um lockdown para conter a covid-19 em Sydney, cidade mais populosa do país. O S&P/ASX 200 caiu 0,32%, a 7.275,30 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).