Estadão

Bolsas da Ásia fecham sem direção única, após eleição no Japão e PMIs chineses

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta segunda-feira, na esteira da eleição parlamentar do Japão e de dados mistos de atividade manufatureira da China.

O índice Nikkei saltou 2,61% em Tóquio nesta segunda-feira, a 29.647,08 pontos, após o partido governista japonês manter maioria no Parlamento na eleição deste domingo, 31, fortalecendo as chances de estabilidade política.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi avançou 0,28% em Seul, a 2.978,86 pontos, e o Taiex subiu 0,48% em Taiwan, a 17.068,24 pontos, mas o Hang Seng caiu 0,88% em Hong Kong, a 25.154,32 pontos, acumulando perdas pela quinta sessão consecutiva, em meio à fraqueza de ações dos setores imobiliário e de tecnologia e saúde.

Na China continental, o Xangai Composto teve leve baixa de 0,08%, a 3.544,48 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto se valorizou 0,49%, a 2.411,78 pontos.

Pesquisa da ISH Markit/Caixin Media mostrou que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial chinês subiu para 50,6 em outubro, sinalizando que a manufatura voltou a se expandir.

Por outro lado, o PMI oficial do setor, que se baseia numa amostragem bem maior, caiu a 49,2 em outubro, menor nível desde o início da pandemia de covid-19 e indicando atividade ainda em contração.

<b>Oceania</b>

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul nesta segunda-feira, com ganhos da maioria de categorias de ações. O S&P/ASX 200 avançou 0,64% em Sydney, a 7.370,80 pontos.

* Com informações da Dow Jones Newswires