Estadão

Desaparecimento de Shuai Peng mobiliza tenistas nas redes sociais

O paradeiro da tenista chinesa Shuai Peng ainda é um mistério. A ex-número 1 do mundo do ranking de duplas está desaparecida desde 11 de novembro, poucos dias após acusar Zhang Gaoli, ex-vice-primeiro-ministro da China de 75 anos, de abuso sexual. A denúncia foi relatada nas redes sociais da atleta, mas a publicação foi deletada pouco tempo após ela expor o caso. Desde então, o mundo não tem mais notícias da estrela chinesa do tênis.

O desaparecimento vem causando a mobilização dos tenistas nas redes sociais. A primeira a se manifestar sobre a japonesa Naomi Osaka. A hashtag #WhereIsPengShuai ("Onde está Shuai Peng" em tradução livre) foi levantada no Twitter para atrair a atenção para o assunto. Alguns tenistas estão publicando a hashtag sobre a foto da ex-tenista.

"Fui informada recentemente que uma amiga tenista desapareceu pouco depois de revelar que sofreu abuso sexual. A censura nunca é OK a qualquer custo, espero que Shuai Peng e sua família estejam bem e bem. Estou em choque com a situação atual e estou enviando amor e luz para ela", escreveu a ex-número 1 do mundo.

Líder do ranking masculino, o sérvio Novak Djokovic também expressou sua preocupação com a situação da chinesa. "Honestamente, é chocante saber que ela está desaparecida. Ainda mais por ser alguém que eu sempre via no circuito nos últimos anos. Não há muito o que dizer, além de esperar que ela seja encontrada e que esteja bem. É terrível. Eu só posso imaginar como a família dela se sente", comentou.

O francês Nicolas Mahut, especialista em duplas, pediu a atenção do Comitê Olímpico Internacional (COI) ao caso e até mencionou o presidente Thomas Bach em seu tuíte. A maioria dos atletas demonstrou apoio à Associação do Tênis Feminino (WTA, na sigla em inglês), entidade que vem concentrando as ações no caso de Shuai Peng. A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), que cuida do circuito masculino, também se manifestou, demonstrando preocupação com o caso.

Na segunda-feira, a WTA cobrou publicamente as autoridades chinesas por uma investigação da denúncia de abuso sexual. Steve Simon, diretor executivo da entidade, demonstrou preocupação com a situação da tenista. "Tentei em várias ocasiões contactá-la por meio de diferentes canais de comunicação, mas sem sucesso", disse o dirigente. "Shuai Peng demonstrou uma coragem incrível ao denunciar a violência sexual da qual afirma ter sido vítima por um alto dirigente do país."

A situação ficou ainda mais complicada na quarta, quando o canal estatal chinês CGTN divulgou uma captura de tela no Twitter de um e-mail atribuído a Peng e supostamente destinado a Simon e outros dirigentes da WTA. Na mensagem, a atleta supostamente afirma que as acusações de abusos sexuais "não eram verdadeiras" e que está "descansado em casa e está tudo bem".

O "e-mail" não acalmou a situação e provocou ainda mais dúvidas pela linguagem supostamente utilizada por Peng e pelo fato de que aparece um cursor de edição no corpo do texto. As autoridades chinesas permanecem em silêncio diante da crescente preocupação com a tenista.

Peng fez a denúncia de abuso sexual em sua conta na Weibo, rede social chinesa equivalente ao Facebook, que é fortemente fiscalizada pelo governo chinês. Todos os seus posts foram derrubados cerca de 20 minutos após a denúncia e o termo "tênis" foi censurado da plataforma, bem como os nomes da tenista ou de Zhang.

A agressão teria ocorrido em 2018, de acordo com a tenista. Ela teria sido coagida pelo político, casado, a fazer sexo. A atleta conta que resistiu e chorou antes de acabar cedendo. Nos três anos seguintes, ambos viveram um caso extraconjugal descrito como "desagradável" pela ex-atleta de 35 anos. Na publicação, ela disse que não poderia apresentar evidências que sustentassem sua afirmação pois a relação de ambos era muito restrita.

Peng e Zhang se começaram a se relacionar em 2011, quando se conheceram em Tianjin. Segundo a tenista, eles tiveram uma única relação, consensual, no decorrer daquele ano. Deixa a entender também que houve uma segunda relação pouco antes dele ser promovido e se ver obrigado a cortar relações com a atleta.

QUEM É SHUAI PENG? – Peng se tornou uma referência do esporte na China depois de conquistar, em parceria com a taiwanesa Su-wei Hsieh, os torneios de duplas de Wimbledon (2013) e Roland Garros (2014). Após a vitória em Paris, as duas permaneceram 20 semanas na liderança do ranking mundial de duplas. No mesmo ano, Peng também conseguiu o melhor resultado em um Grand Slam de simples ao alcançar as semifinais do US Open.

Em sua carreira, ela conquistou 23 torneios de nível WTA em duplas e dois de simples, com uma premiação de quase US$ 10 milhões. Atualmente, Peng é tenista número 191 no ranking de duplas e não disputa um torneio WTA desde o Torneio do Catar, em fevereiro de 2020, pouco antes da pandemia de covid-19 interromper as competições durante quase cinco meses.