Economia

Desembolsos do BNDES somam R$ 162,263 bi em 2014 até novembro

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desembolsou R$ 162,263 bilhões nos 11 primeiros meses de 2014, resultado que representa estabilidade em relação a igual período do ano passado. As informações foram divulgadas nesta terça-feira, durante entrevista coletiva concedida pelo presidente da instituição, Luciano Coutinho, no Rio. “O resultado até novembro também aponta para um valor de liberação semelhante aos R$ 190 bilhões de 2013”, disse a instituição, em nota distribuída à imprensa. Apenas no mês passado, foram desembolsados R$ 15,7 bilhões, anunciou o banco.

O setor de infraestrutura permaneceu sendo o destaque, com R$ 58,1 bilhões em desembolsos até novembro deste ano, um aumento de 10% em relação a igual período de 2013. As aprovações neste segmento também cresceram em 21%, para R$ 66,4 bilhões ao longo dos 11 meses.

Considerados uma das prioridades pelo BNDES, os projetos de inovação receberam R$ 4,9 bilhões entre janeiro e novembro deste ano, um valor 32% maior do que em igual período do ano passado. “A maior demanda veio de projetos de inovação dentro PSI, o Programa de Sustentação do Investimento, com desembolsos de R$ 2,2 bilhões até novembro”, informou o banco.

Na indústria, os desembolsos atingiram R$ 44,6 bilhões nos primeiros 11 meses de 2014, uma redução de 10% em relação ao ano passado. As aprovações, por sua vez, totalizaram R$ 44,8 bilhões, queda de 34% na mesma base de comparação. Para o setor de comércio e serviços, o BNDES desembolsou R$ 44,7 bilhões, alta de 2% ante o período de janeiro a novembro de 2013. Mas as aprovações para o segmento caíram 11%, chegando a R$ 47,9 bilhões.

Na agropecuária, por fim, os desembolsos do banco de fomento somaram R$ 14,9 bilhões no ano até novembro, uma queda de 10% em relação a igual período do ano passado. As aprovações também caíram 9%, para R$ 14,8 bilhões. O cartão BNDES obteve “bom desempenho”, com desembolsos somados em R$ 10,4 bilhões, alta de 15% em relação ao período de janeiro a novembro do ano passado. Segundo a instituição, foram 718 mil operações que abrangeram 203 mil empresas.