Política

Em Guarulhos, Ciro Gomes chama Bolsonaro de “bandido” e critica divulgação de Doria na pandemia: “marqueteiro”

Em evento no auditório do Ciesp Guarulhos, no Jardim Pinhal, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) propôs um debate “menos” raso acerca dos problemas do país e, ao mesmo tempo, chamou Bolsonaro de bandido e incompetente, fez críticas às gestões de Lula e Dilma – ambos do PT – e chamou João Dória de ‘marqueteiro’ ao falar sobre as aparições do governador de São Paulo em meio à pandemia.

“Há um aspecto do enfrentamento da pandemia em São Paulo, pelo governo Dória, de quem eu sou adversário, que é admirável. É preciso que se reconheça que ele fez um esforço verdadeiro pra antecipar a produção de vacinas no Brasil. Isso é um reconhecimento que todos nós temos que ter, mas não é tão peculiar, apenas toma relevo quando temos um presidente da República que trabalhou obsessivamente contra a vacinação e, até hoje, diz que não vai se vacinar, estimulando a ignorância”, iniciou Ciro.

“Entretanto, no manejo disso, eu acho que o Dória comete o erro de sempre. Ele não pareceu perceber que a gente estava manejando uma tragédia humanitária, que recomendava sobriedade, equilíbrio, autoridade, e não ficasse se exibindo todo dia como ‘danadão’ que está enfrentando a pandemia. É nisso que ele se perde. Ele é um marqueteiro que não consegue tratar as coisas fora da ‘marquetagem’ e o povo percebeu nisso. Então, sim, há méritos. Porém, o exagero do exibicionismo, de achar que cumpriu sua obrigação – que é respeitável – tem que ser exibida todo dia, e estabelecer uma emulação como presidente da República de base eleitoreira em cima de milhares de pessoas que estavam morrendo, perdendo emprego, desesperadas, é o que tira o mérito do Dória”, acrescentou Gomes.

Em outro momento, após reconhecer que fez parte de governos petistas, o pedetista também fez críticas fortes ao ex-presidente Lula, outro possível adversário em 2022. Ao mencionar a devolução de R$ 100 milhões aos cofres públicos do ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, aliado de Lula, Ciro ironizou o fato de Lula dizer não saber soube a corrupção do que chamou de “braço direito do governo”. “Lula, tu é ladrão ou panaca”, referiu-se ao prometer cutucar o petista na televisão. Ele também criticou o mandato de Dilma Roussef. “O PIB caiu 7% em dois anos”.

Sobre o presidente Bolsonaro, candidato à reeleição, Ciro foi ainda mais enérgico na fala. “O Bolsonaro é uma grande fraude, infelizmente, extremamente e cruelmente lesiva ao povo brasileiro. Ele é um corrupto que denunciou a corrupção e é um governo corrupto até a medula. Ele próprio tem origem e a família que ele próprio corrompeu”, atacou.

“É uma grande mentira você acreditar que o Bolsonaro um dia seria diferente do que ele sempre foi, sabe? Um bandidinho, sem nenhum espírito público, sem nenhum compromisso e um incompetente desastrado”, completou Ciro.

Grandes fortunas

Ciro disse que, se eleito, vai cortar custos “de forma severa”. Outra promessa é de taxar em 0,5% os patrimônios acima de R$ 20 milhões, o que geraria cerca de R$ 60 bilhões de reais por ano, coletados em recolhimentos de cerca de 58 mil brasileiros dessa faixa.

Guarulhos

Abordado sobre Guarulhos, Ciro se referiu à cidade dentro de um ‘cinturão’ com outros municípios no entorno da Capital. “A Região Metropolitana de São Paulo é a sede da crise. Mas é também o lugar por onde vai sair da crise. Por quê? Porque você tem uma base física. Boa parte das indústrias ainda estão vivas. Você tem que trabalhar para que essa coisa no crédito, na caixa de câmbio e em um sistema tributário mais inteligente”, explicou.

O presidenciável criticou o fato da Linha 13 – Jade ser construída para atender o aeroporto, mas não chegar aos terminais de embarque e desembarque. “Há também outro ponto importante que é a questão da infraestrutura. Eu não me conformo – e cito no Brasil inteiro como exemplo, por isso tenho certa intimidade – como o Metrô vem de São Paulo para o aeroporto de Cumbica parou a 1 quilômetro do aeroporto? E depois, a pouquíssimos quilômetros de Guarulhos, onde existe um fluxo importante de ida e vinda. Isso aí é uma óbvia retomada de estrutura que tem que ser feita com a mais alta propriedade”, finalizou Ciro.