Cidades

Estudantes visitam exposição na Biblioteca Monteiro Lobato

Cerca de 40 alunos do 9º ano da Escola Estadual Jardim Fortaleza II visitaram a exposição “Entre o Homem e a Natureza”, do artista plástico e professor Claudinei Monteiro, em exposição na Biblioteca Monteiro Lobato, no Centro.

A montagem conta com 34 obras, dentre as quais pinturas sob cédulas, pinturas e desenhos de paisagens surrealistas e olhos atentos para que o público possa refletir sobre questões humanas, sociais e ambientais.
A visita integra a metodologia de ensino das disciplinas Artes e Projeto de Vida e Tecnologia ministradas à turma por Claudinei. “Aproveitamos a oportunidade para trazê-los, como temos a tecnologia disponível em sala de aula, eu sempre acabo mostrando algumas coisas e, durantes as aulas de Artes, muitos mostraram interesse, principalmente pelas obras de artistas como o Mundano, Alexandre Órion, Eduardo Sur, falo dos meus trabalhos também”, explica.
Sob curadoria de Caroline Esteves, a exposição “Entre o Homem e a Natureza” é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e ficará disponível ao público até o dia 5 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. A Biblioteca Monteiro Lobato fica na Rua João Gonçalves, 349, no Centro.

Impressões

Em meio aos trabalhos expostos, alguns despertaram especial atenção dos alunos, principalmente os que tratam do efeito do capital sobre o homem e a natureza.

Bernardo de Souza Cardoso, 14 anos, e Isabella Nunes Sales, 15 anos, acharam a exposição muito interessante e destacam a crítica social presente nas obras. “O olho e o menininho no balanço chamam muita a atenção, já são marca registrada do professor Claudinei, mas o uso que ele faz das cédulas, dinheiro de diferentes épocas, é muito impressionante”. Além das cédulas, parte das obras expostas também usam como suporte material reutilizável, técnica de reciclagem feita pelo próprio artista.

Durante a visitação da turma, as alunas Ingrid Araújo de Souza, 15 anos, e Larissa Marilin, 14 anos, dedicavam alguns grafites ao painel disponível aos visitantes. “Fiquei com muita vontade de vir, fotografar, já acompanho o trabalho do professor Claudinei desde 2014”, conta Larissa. Já Ingrid demonstra grande alinhamento com as artes visuais: “na parte digital, fanart e crio personagens; mexo também com aquarela e guache, conta.