Estadão

EUA: democratas enfrentam prazo cada vez mais curto para aprovar pacotes

O Partido Democrata ainda não chegou a um consenso sobre como reduzir o pacote de gastos que prevê recursos para expandir a rede de proteção social e revisar a política dos Estados Unidos de combate à mudança climática, mas enfrenta um prazo cada vez menor para fechar um acordo. Nesta semana, a Câmara dos Representantes e o Senado voltam do recesso parlamentar.

Os líderes democratas inicialmente estimavam o montante do pacote em cerca de US$ 3,5 trilhões, mas parlamentares centristas querem reduzir esse valor para US$ 1,5 trilhão.

Um elemento importante relacionado ao clima – um programa de US$ 150 bilhões que visa pressionar as concessionárias a obter mais energia de fontes limpas – poderia ser cortado do projeto de lei, de acordo com pessoas familiarizadas com as negociações, uma vez que essa medida atraiu objeções do senador democrata centrista Joe Manchin.

Em meio a desacordos de política interna, os democratas aprovaram no início deste mês uma extensão de curto prazo do financiamento das rodovias até o final de outubro, estabelecendo um novo prazo para grande parte da agenda legislativa do presidente Joe Biden.

Embora a aprovação do pacote ideal para os democratas – uma ampla expansão dos programas de saúde, educação e clima, entre outras coisas – não seja viável até o final do mês, a pressão para que a legenda chegue a um consenso aproximado sobre os parâmetros do projeto tem aumentado.

Os democratas "progressistas", ligados à esquerda, vincularam a aprovação de um pacote de infraestrutura de cerca de US$ 1 trilhão, que já passou no Senado, ao pacote de política social e clima ainda em discussão nas duas Casas. Fonte: Dow Jones Newswires