Início » EUA: Representante do Comércio discute produção de vacinas com farmacêuticas

EUA: Representante do Comércio discute produção de vacinas com farmacêuticas

A Representante do Comércio dos Estados Unidos, Katherine Tai, se reuniu nesta terça-feira, 27, com lideranças de algumas das principais farmacêuticas americanas que produzem vacinas contra a covid-19. Entre os temas das conversas, o aumento da produção de imunizantes e a questão da propriedade intelectual. Segundo comunicado, as reuniões trataram de questões colocados pela Organização Mundial do Comércio (OMS) sobre a vacinação.

Um dos encontros foi com o representante da AstraZeneca nos EUA, Ruud Dobber, quando Tai afirmou que a administração está "examinando opções para compartilhar as doses" da vacina produzidas pela empresa com outros países à medida que forem disponibilizadas. Ontem, a Casa Branca indicou que 60 milhões de doses da vacinas poderão ser entregues a outros países. A Índia, que enfrenta graves condições de seu quadro pandêmico é potencialmente uma das maiores beneficiárias, como foi indicado hoje em reportagem da <i>Reuters</i>.

No encontro, Tai expressou sua profunda simpatia pelo povo da Índia, segundo comunicado, o que também consta na publicação sobre sua reunião com o representante da Pfizer. A representante "enfatizou seu compromisso em trabalhar com os membros da OMC em uma resposta global à pandemia, incluindo o papel dos países em desenvolvimento em qualquer solução eficaz que resolva as lacunas críticas na produção e distribuição global de vacinas", afirma o comunicado.

Na discussão com Joh Trizzino, vice-presidente executivo da Novavax, ambos trataram sobre os passos que a empresa vem tomando "rapidamente" para aumentar a produção e distribuição de vacinas nos EUA e ao redor do mundo.

Em reunião com o CEO da Pfizer, Albert Bourla, o representante da farmacêutica "compartilhou suas opiniões sobre a importância vital de aumentar o acesso global à vacina e como a política comercial poderia ajudar a enfrentar os desafios", segundo comunicado.

Comentar

Clique aqui para comentar