Início » Festival ‘Filme Possível’ promove encontro virtual entre o diretor Adirley Queirós e coletivos de cineastas de Guarulhos
Cinema

Festival ‘Filme Possível’ promove encontro virtual entre o diretor Adirley Queirós e coletivos de cineastas de Guarulhos

O encontro ao vivo, que será aberto ao público e gratuito, vai ser transmitido nesta sexta-feira, 30/04, a partir das 19h, no YouTube

O Festival de Cinema “Filme Possível”, evento 100% online e gratuito viabilizado pelo Funcultura de Guarulhos e pela Lei Aldir Blanc, realiza um encontro virtual entre o premiado diretor Adirley Queirós e coletivos de cineastas da cidade nesta sexta-feira, 30/04, a partir das 19h, em seu canal do Youtube.

Durante a live, os participantes falarão sobre produção coletiva de audiovisual e olhares periféricos, entre outros assuntos referentes ao universo cinematográfico. “É uma ótima oportunidade para os novos profissionais de cinema, de Guarulhos e todo o Brasil, aprenderem e tirarem suas dúvidas com um diretor que já fez muito pela cultura brasileira”, disse o cineasta Guilherme Severo, idealizador e curador do Filme Possível.

Severo ainda afirmou que é uma honra receber Adirley Queirós no festival. “Suas obras possuem críticas sociais e mensagens muito assertivas, além de terem alcance nacional e internacional”, completou. 

Sobre Adirley Queirós

O diretor Adirley Queirós é responsável pelos longas “Branco Sai, Preto Fica” (2014), “Uma Dose Violenta de Qualquer Coisa” (2014), “Era Uma Vez Brasília” (2017) e “A Cidade é uma Só?” (2011). Esta última produção foi uma das obras divulgadas gratuitamente no festival de longas-metragens do Filme Possível.

Além do destaque no Filme Possível, “A Cidade é uma Só” recebeu o Prêmio Especial do Júri, como Menção Honrosa de Melhor Filme, na Semana dos Realizadores (2011). Também foi eleito o melhor filme pela crítica na 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes e no Fórum.doc de Belo Horizonte – ambos em 2012.

Fora do país, o longa foi exibido nos festivais: BACIFI – Buenos Aires Festival Internacional de Cinema Independente; World Cinema Amsterdã e INDIE BRAZIL, em Los Angeles. Todos realizados em 2012.

Já pelo “Branco Sai, Preto Fica”, Adirley Queirós foi premiado no Festival de Brasília e indicado ao Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro. Além disso, o cineasta também ganhou outros prêmios com o curta “Rap: O Canto da Ceilândia” (2005), produzido como seu Trabalho de Conclusão de Curso na Universidade de Brasília. 

Serviço

Live com Adirley Queirós e coletivos de cineastas de Guarulhos

Sexta-feira, dia 30 de abril, às 19h

Onde assistir: canal do FILME POSSÍVEL

Valor: gratuito