Cidades

Fiscalização da Prefeitura aponta que espera por táxis no aeroporto chega a 22 minutos

Americano responsabiliza voos matutinos e trânsito do início da semana por demora

O período de 22 minutos foi o maior tempo de espera por táxis encontrado pelo secretário municipal de Transportes e Trânsito, Atílio Pereira, em fiscalização na manhã desta segunda-feira, na área de desembarque do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Ele afirma que até julho a frota de 653 táxis deve ganhar 133 novos carros, o que pode minimizar o problema.

Pereira diz que somente o aumento da frota não resolverá os problemas do aeroporto. Para ele, o local precisa de novas alternativas de transporte, como um corredor exclusivo de ônibus e táxis na rodovia Presidente Dutra e na Marginal Tietê, além da vinda de linhas de trens. "O Trem de Alta Velocidade (TAV) vai sair. A licitação é em agosto. Agora precisamos que o Governo do Estado traga trens que liguem Guarulhos à São Paulo", conta.

O secretário afirma que o projeto municipal de implantação de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que ligue o aeroporto até a estação Tucuruvi do Metrô, na capital paulista, está em fase de estudo de viabilidade econômica. Ele não confirma prazos para a execução do projeto. "São 430 mil viagens até São Paulo e 460 mil dentro de Guarulhos. É um número muito grande e só com o transporte ferroviário poderemos atender a população com qualidade", afirma.

Segundo o presidente da Guarucoop (cooperativa de taxistas do aeroporto) e vereador guarulhense, Edmílson Americano (PHS), existe uma concentração de voos nas manhãs de segunda-feira, aliado aos problemas no trânsito, que prejudicam o atendimento dos táxis no aeroporto. "Precisamos de corredores exclusivos para ônibus e táxis. A inclusão dos 133 novos táxis também vai ajudar bastante e acabar com as especulações", diz.