Estadão

Flip 2021 terá Alice Walker, Margaret Atwood e Conceição Evaristo

Alice Walker, Margaret Atwood, David Diop, Djaimilia Pereira de Almeida, Elif Shafak, Han Kang, Conceição Evaristo, Leonardo Fróes e Ailton Krenak são alguns dos autores convidados da Festa Literária Internacional de Paraty, que será realizada pelo segundo ano consecutivo online, por causa da pandemia da covid-19. A Flip 2021 será entre os dias 27 de novembro e 5 de dezembro, com transmissão gratuita pelo canal do evento no YouTube.

A programação da 19ª Flip foi anunciada nesta quinta-feira, 18. Serão, ao todo, 19 mesas (duas por dia; às vezes três no sábado e domingo) – os encontros realizados às 20h e os dos dois finais de semana poderão ser vistos também pela TV, com transmissão pelo Arte 1. Quem não puder acompanhar ao vivo poderá assistir depois, já que as mesas serão gravadas.

Esta é a primeira vez que a Flip terá um tema: Literatura e plantas. E é a primeira vez que haverá um conselho curatorial. O antropólogo Hermano Vianna coordena esse coletivo, e sugere que a "experiência da Flip" deve ser percebida como um todo – da primeira à última mesa – e que todos os convidados pensam a questão das plantas e meio ambiente ou já publicaram livros relacionados ao tema. Uma cerimônia guarani transmitida direto de Paraty dará as boas-vindas.

Autora de A Cor Púrpura, Alice Walker, que acaba de participar, virtualmente, da Feira do Livro de Porto Alegre, publicou este ano pela Bazar do Tempo o livro Em Busca do Jardim de Nossas Mães. "Esse é um livro de referência para a Conceição Evaristo, que está passando a pandemia no interior de Minas Gerais e desenvolveu uma relação com as plantas do jardim", comentou Vianna.

Ele destacou também a participação de Kim Stanley Robinson, autor de ficção científica que acompanhou os bastidores da COP-26. "Ele escreveu um livro fundamental, The Ministry for The Future, sobre a crise climática, e vai conversar com Eliane Brum, que vai lançar um livro que é fruto de uma longa pesquisa que ela fez na Amazônia."

Pedro Meira Monteiro, professor da Princeton University, também está no conselho, ao lado de Vianna, Evando Nascimento, Anna Dantes e João Paulo Lima Barreto. Para ele, esta Flip será marcada por encontros inusitados, de gente que talvez não se conhece e que vai começar a dialogar sobre um tema em comum. "Não tem ninguém na programação que não tenha sido tocado por esse recado das plantas", disse.

Em 2022, a Flip deve voltar a ser realizada presencialmente, em Paraty. "Este ano, ela vai ser muito presencial para o paratiense, mas não queremos atrair mais visitantes do que os que já estão indo a Paraty", disse Mauro Munhoz, diretor artístico da Flip.

<b>Flipinha</b>

A 19ª Flipinha também terá transmissão ao vivo e online pelos canais da Flip, com 12 mesas e a participação de 21 autores e educadores indígenas, entre os dias 22 e 27 de novembro, em dois horários, pela manhã e à tarde. São eles: Ani Ganzala, Beatriz Chachamovits, Ciça Fittipaldi, Daniel Munduruku, Edimilson de Almeida Pereira, Elaine Marcelina, Erika Balbino, Heloísa Pires de Lima, Índigo, Janaína Tokitaka, Juka, Josias Marinho, Kaká Werá Jecupé, Luciana Grether, Marie Ange Bordas, Marina Miranda, Sheila Perina, Simone Motta, Rosinha, Waldete Tristão, Yaguarê Yamã. Nesta edição, além dos autores convidados, a Ciranda dos Autores contará com a mesa Um livro de arte Iny Karajá nas escolas indígenas, com os educadores Waxiaki Karajá e Wahuká Karajá e Rosani Leitão, que atua na Educação Intercultural de Formação Superior Índigena em conversa com a escritora Ciça Fittipaldi. Algumas das atividades, envolvendo os alunos de Paraty, são realizadas ao longo do ano, de forma presencial e online.

Flip 2021 – Virtual
Programa educativo: de 22 a 27 de novembro

Programa principal: De 27 de novembro a 5 de dezembro

<b>Programação da Flip 2021</b>

Sábado, 27/11
16h

<b>MESA 1: Nhe éry Jerá (Abertura)</b>

Com Carlos Papá e Cristine Takuá

18h

<b>MESA 2: Literatura e plantas</b>

Com Stefano Mancuso e Evando Nascimento

Mediação: Prisca Agustoni

Domingo, 28/11
16h

<b>MESA 3: Naturalismo e violência</b>

Com Micheliny Verunschk e David Diop

Mediação: Milena Britto

18h

<b>MESA 4: Folhas e verbos</b>

Com Véronique Tadjo e Edimilson Pereira de Almeida

Mediação: Joselia Aguiar

Segunda, 29/11
18h

<b>MESA 5: Plantas e cura</b>
Com João Paulo Lima Barreto e Monica Gagliano

Mediação: Mônica Nogueira

20h

<b>MESA 6: Em definição</b>

Terça, 30/11
18h

<b>MESA 7: Zé Kleber: Micélios</b>

Com Jorge Ferreira e Merlin Sheldrake

Mediação: Alice Worcman

20h

<b>MESA 8: Tecnobotânicas</b>

Com K Allado-McDowell e Giselle Beiguelman

Quarta, 1/12
18h

<b>MESA 9: Fios de palavras</b>

Com Leonardo Froés, Júlia de Carvalho Hansen e Cecilia Vicuña

Mediação: Ludmila Lis

20h

<b>MESA 10: Utopia e distopia</b>

Com Margaret Atwood e Antonio Nobre

Mediação: Renata Tupinambá

Quinta, 2/12
18h

<b>MESA 11: Botânicas migrantes</b>

Com Djaimilia Pereira de Almeida e Elif Shafak

20h

<b>MESA 12: Políticas vegetais</b>

Com Kim Stanley Robinson e Eliane Brum

Mediação: Lucia Sá

Sexta, 3/12
18h

<b>MESA 13: Em definição</b>

20h
MESA 14: Vegetalize
Com Adriana Lisboa e Han Kang

Mediação: Guilherme Henrique

Sábado, 4/12
16h

<b>MESA 15: Em definição</b>

18h
MESA 16: Em busca do jardim
Com Alice Walker e Conceição Evaristo

Mediação: Djamila Ribeiro

20h

<b>MESA 17: Ouvir o verde</b>

Com Alejandro Zambra e Ana Martins Marques

Mediação: Rita Palmeira

Domingo, 5/12
16h

<b>MESA 18: Metamorfoses</b>

Com Emanuele Coccia e Adriana Calcanhotto

Mediação: Cecilia Cavalieri

18h

<b>MESA 19: Cartografias para adiar o fim do mundo</b>

Com Ailton Krenak e Muniz Sodré

Mediação: Vagner Amaro