Estadão

Fora da lista de abertura da COP-26, Bolsonaro grava vídeo para evento paralelo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, ficou de fora da lista de 117 chefes de Estado e de governo e autoridades como a presidente da Comissão Europeia que participam nesta segunda-feira e na terça-feira, 2, da primeira parte do segmento de alto nível da COP-26, que ocorre em Glasgow, na Escócia. Bolsonaro está em Pádua, terra de seus antepassados, depois de participar da reunião de cúpula das 20 maiores economias do globo (G20), realizada no final de semana, em Roma.

O chefe do Executivo decidiu não ir à Convenção do Clima, argumentando que se tratava de uma "estratégia nossa". Na sequência, o vice-presidente, Hamilton Mourão, avaliou que se Bolsonaro fosse ao evento iriam "jogar pedra" no presidente.

A COP-26 na Escócia, no entanto, será um palco político importante para o Brasil, que contará com a participação de 11 governadores e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, entre outros.

Na lista divulgada nesta madrugada pela organização da Convenção, estão previstos discursos tanto de chefes de Estado e de governo de economias desenvolvidas – como Espanha, Alemanha e Estados Unidos – quanto de países de menor expressão econômica, como Ilhas Maurício, Nepal, Georgia e Belize. Há até a observação de que o presidente da China, Xi Jinping – que não sai de seu país desde que a pandemia teve início – participará do evento por meio de um discurso que poderá ser acessado no site da COP-26.

De acordo com o comunicado do evento, os nomes dos participantes formam "a lista de palestrantes que já foram confirmados para entregar uma declaração nacional.

Declarações nacionais de Chefes de Estado e de Governo serão ouvidas após a abertura de a Cúpula de Líderes Mundiais e a abertura do segmento de alto nível". Devido à grande quantidade de participantes, cada um deles terá um tempo máximo de 3 minutos para se pronunciar.

<b>Vídeo</b>

Apesar disso, o Planalto preparou um vídeo de cinco minutos do presidente brasileiro para ser exibido a partir das 11 horas (de Brasília). A transmissão, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), será feita no pavilhão do Brasil, em Glasgow, junto com um espaço montado em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília.

A previsão é que depois de Bolsonaro, o ministro Joaquim Leite (MMA) fale ao vivo por 15 minutos. Ele está em Brasília e viajará para Glasgow na semana que vem.

O evento virtual paralelo do Brasil já teve início. A primeira transmissão foi do painel "Combate ao desmatamento ilegal", que contou com um debate de secretários e outros representantes do MMA na Escócia e em Brasília.