Cidades

Funcionário da Câmara publica pesquisa em revista internacional

Sanitarista coordena equipe que estuda novo medicamento para tratamento da esquistossomose.
A luta contra a esquistossomose, doença parasitária que anualmente afeta cerca de 200 milhões de pessoas e mata 500 mil em todo o mundo, acaba de ganhar mais um aliado. Estudo de dois anos feito por uma equipe de profissionais na Faculdade de Ciência de Guarulhos (Facig), em colaboração com Unicamp, Universidade Federal do Piauí e Instituto Adolfo Lutz de São Paulo, comprovou que o fitol, álcool da clorofila muito utilizado como um aditivo alimentar e na medicina, possui alto potencial de combate à esquistossomose.
 
O estudo foi editada no início do ano na revista norte-americana PLoS(Biblioteca Pública de Ciências), respeitada publicação científica internacional, e conta com a coordenação do sanitarista Josué de Moraes, técnico parlamentar da Câmara Municipal de Guarulhos. A matéria pode ser acessada no endereçohttp://www.plosntds.org/article/info:doi/10.1371/journal.pntd.0002617.
 
“O tratamento e o controle desta doença dependem basicamente de uma única droga, o praziquantel, e, portanto, é fundamental que se desenvolvam outros medicamentos”, explica Josué, que na Câmara também assessora a Comissão Permanente de Higiene e Saúde Pública. “A clorofila está presente em todas as plantas verdes e, portanto, a produção do fitol é atraente do ponto de vista econômico”, afirma o especialista.
 
Os pesquisadores patentearam o medicamento, tiveram a aprovação de órgão reguladores dos EUA e agora aguardam o fim dos trâmites para aprovação das autoridades brasileiras. “Enquanto esperamos a aprovação das entidades brasileiras, o passo seguinte é fazer testes em humanos infectados”, revela Josué.