Economia

Impulsionadas por ganhos em Wall Street, bolsas europeias fecham o dia em alta

Em uma terça-feira de grande volatilidade no mercado de petróleo e de forte desvalorização do rublo, os investidores europeus passaram a maior parte do pregão em busca de ativos de menor risco e levaram as bolsas a terrenos negativos.

Somente ao fim do dia, com uma nova alta nos preços do barril da commodity negociada na Nymex, e uma recuperação das bolsas nos Estados Unidos, o mercado acionário voltou a ganhar força e encerrou as negociações em alta. O índice Stoxx 600 também subiu, 1,67%, para os 328,69 pontos.

As ações europeias foram bastante impactadas pela turbulência financeira na Rússia neste dia 16. Apesar da decisão do banco central russo de surpreender o mercado e elevar a taxa básica de juros a 17% ao ano, a moeda nacional chegou a atingir a mínima histórica de 80 rublos por dólar, em desvalorização de mais de 30%.

A instabilidade cambial no país decorre da contínua desvalorização dos preços nos barris de petróleo, o que também afeta negativamente os papéis de petroleiras e companhias relacionadas a este setor na Europa. Essa tendência, verificada no decorrer do dia nas principais bolsas da Europa, foi agravada pela crise na Rússia, que afetou ações de empresas cuja exposição a esse mercado é grande.

Somente ao fim do pregão os investidores, influenciados pelo avanço das ações em Nova York, impulsionaram os mercados do continente europeu. Em Paris, o CAC-40 avançou 2,19%, aos 4.093,20 pontos, mas chegou a cair mais de 2% no pregão. Ainda assim, papéis de companhias como a Renault (-0,7%) e o banco Société Générale (-0,5%), que têm na Rússia um importante mercado, não conseguiram se recuperar totalmente.

Em Frankfurt, o DAX avançou 2,46%, aos 9.563,89 pontos, com os investidores ponderando os resultados positivos do índice de gerentes de compras (PMI) e do índice ZEW de expectativas econômicas. No entanto, a alta na bolsa alemã também só veio após ganhos em Wall Street. Liderando o DAX, a Lufthansa subiu 4,4%, beneficiada por novo recuo nos preços do petróleo.

Os índices FTSE 100, de Londres, e o FTSEMIB, de Milão, subiram e renovaram máximas no pregão. No Reino Unido, o avanço do mercado acionário foi de 2,41%, para os 6.331,83 pontos. Já na Itália, o ganho foi de 3,27%, com o índice a 18.670,05 pontos.

O IBEX 35, de Madri, avançou 1,80%, aos 10.081,90 pontos, enquanto o mercado acionário em Lisboa registrou avanço de 1,06%, para os 4.747,07 pontos. Já a bolsa de Oslo foi exceção e caiu 0,2%, para os 1.331,46 pontos. Isso porque o índice possui grande participação de companhias com forte exposição ao mercado russo.