Estadão

Juan Figer, influente empresário no futebol brasileiro, morre aos 87 anos

Um dos empresários mais influentes no futebol brasileiro nas últimas décadas, o uruguaio Juan Figer morreu na sexta-feira, aos 87 anos. A família informou que ele sofreu uma parada cardíaca.

"É com imenso pesar que fecharemos o ano de 2021 sem a presença do nosso mestre Juan Figer. Infelizmente, após lutar muito, ele não resistiu a uma parada cardíaca e faleceu hoje, 31/12/2021", escreveu o Grupo Figer em seu Instagram.

Figer atuava no futebol desde 1969, quando abriu sua agência no Brasil. Antes mesmo da regulamentação da profissão de agente pela Fifa, o uruguaio participou de diversas negociações de jogadores importantes, como Maradona, Sócrates, Casagrande e Dunga.

A morte gerou repercussão nas redes sociais, com diversas manifestações. O presidente do São Paulo, Julio Casares, publicou uma foto do empresário e Descanse em paz, Juan! Sentimento à família! O céu está em festa! Jogadores, como Júnior Urso, Diego Tardelli e Zé Love, e ex-jogadores, como Magrão e Maldonado, também se manifestaram.

A neta de Juan Figer, Stephanie Figer, que também atua no futebol, fez uma postagem no Instagram. "É assim que eu sempre me lembrarei de você Vô… viajando, comendo num bom restaurante e falando de futebol! Que honra e privilégio o meu de ser sua neta e ter aprendido tantas coisas com você. Vou levar a diante tudo o que você me ensinou, ao lado do meu pai Marcel Figer e tio André Figer pra te deixar orgulhoso por onde estiver! Te amo com todo o meu coração. Muito obrigada por tudo", escreveu.

Apesar da enorme influência no futebol, Juan Figer não escapou de uma investigação da Fifa. O uruguaio foi alvo por causa da utilização do Rentistas, clube da primeira divisão uruguaia, para registrar seus jogadores e emprestá-los para outras equipes.