Estadão

Membros do Fed julgaram que maioria de impactos da pandemia sobre economia passou

Os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), consideram que os maiores efeitos negativos da pandemia sobre a economia já ocorreram e avaliam que as perspectivas econômicas continuam a melhorar, de acordo com a ata da mais recente reunião de política monetária da entidade, divulgada nesta quarta-feira, 7. Como resultado, alertas sobre o impacto da pandemia não constaram no documento publicado hoje, diferentemente do que ocorreu nos últimos encontros.

A expectativa dos dirigentes é manter a política monetária acomodatícia até que as metas de emprego e inflação sejam atingidas, segundo consta no documento. O Fomc espera alcançar o máximo de emprego e manter a inflação à taxa de 2% no longo prazo, mas vários dirigentes pontuam ver incerteza elevada sobre projeções nesses âmbitos.

Os participantes do comitê disseram que seguirão atentos e poderão ajustar a política monetária, caso necessário. Eles reforçaram que usarão todas as ferramentas possíveis para dar apoio à economia americana neste momento, visando um melhor desempenho no mercado de trabalho e na estabilidade dos preços. Segundo o documento, a compra de ativos por parte do Fed preservará o funcionamento do mercado e a acomodação financeira.

Durante a reunião, também foi notado que a pressão para baixo sobre a taxa dos mercados monetários foi mantida ao longo do período, com os bancos encontrando dificuldade para crescimento em seus balanços.