Estadão

Novak Djokovic deixa Austrália e se diz decepcionado após decisão judicial

Novak Djokovic deixou a Austrália na manhã deste domingo (horário de Brasília), em um avião para Dubai, horas após o Tribunal do Circuito Federal de Melbourne decidir deportá-lo. O tenista número 1 do mundo, que se disse "decepcionado" com a decisão, viveu dias de muita polêmica desde que tentou entrar no país da Oceania sem estar vacinado contra a covid-19, motivo de sua deportação.

A informação de que o sérvio embarcou foi confirmada por Alex Hawke, ministro da Imigração australiano. "Satisfaço-me com a decisão unânime do Tribunal Federal da Austrália, confirmando minha decisão de exercer meu poder sob a Lei de Migração para cancelar o visto do Sr. Novak Djokovic por interesse público. Posso confirmar que o Sr. Djokovic já partiu da Austrália", escreveu Hawke nas redes sociais.

Antes da confirmação da viagem, Djokovic enviou um comunicado à imprensa. No texto, ele lamenta não poder participar do Aberto da Austrália, torneio que o levou a viajar ao país e do qual seria o cabeça de chave número 1. De qualquer forma, não mostrou arrependimento pela postura adotada ao longo dos últimos dias.

"Estou extremamente decepcionado com a decisão da Corte em negar meu recurso", disse. "Respeito a decisão do Tribunal e vou cooperar com as autoridades para deixar o país. Me incomoda que o foco nas últimas semanas tenha sido em mim e espero que agora o foco seja no jogo e no torneio que mais amo. Desejo aos jogadores, ao torneio, ao staff, aos oficiais e aos fãs o melhor torneio",completou.

Djokovic também diz que vai "tirar algum tempo para descansar e se recuperar". O tenista foi fotografado no aeroporto de Melbourne, de máscara e acompanhado por dois oficiais do Governo. Segundo a agência de notícias Associated Press, ele embarcou em um voo para Dubai, nos Emirados Árabes.

O número 1 do mundo desembarcou na Austrália há pouco mais de uma semana e apresentou um atestado médico que o isentaria de tomar a vacina contra covid-19. O argumento era de que ele já havia sido contaminado pelo vírus em dezembro e se recuperado, mas o governo australiano não reconheceu o documento.

Então, o sérvio foi detido em um hotel de imigração, e assim começou a saga judicial, encerrada na madrugada deste domingo (noite na Austrália), quando o tribunal decidiu por unanimidade pela deportação do atleta. A decisão é definitiva e não há mais possibilidade de recurso. Mesmo se houvesse, não haveria mais chances de Djokovic disputar o Aberto da Austrália, por falta de tempo.