Esportes

Ponte Grande deverá receber campo de futebol como compensação por projeto ambiental

A Ponte Grande deverá receber um campo de futebol como compensação pela implantação no bairro de uma Unidade de Recuperação da Qualidade (URQ) da água pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Na noite desta segunda-feira (29) foi promovida pelo secretário de Governo, Edmilson Americano, uma reunião no Paço Municipal para debater esse e outros assuntos relacionados a melhorias para o bairro.

Como contrapartida pela URQ, a Sabesp promoverá à Prefeitura de Guarulhos um aporte financeiro de valor a ser definido para a construção do campo em 2022. Ainda não há a definição exata do local, mas a estrutura será erguida próxima à URQ, que será montada nas proximidades do estádio Arnaldo José Celeste.

A reunião desta segunda-feira esclareceu dúvidas da população e reassegurou a lideranças do bairro e a um grupo de vereadores presentes que a construção da URQ será benéfica à Ponte Grande, haja vista que o mau cheiro dos córregos locais será praticamente eliminado pela unidade, que tratará 90% das impurezas da água. Como consequência, a população de pernilongos também diminuirá, principalmente nos dias mais quentes.

Por sua vez, o campo do estádio será completamente mantido, bem como a pista de atletismo ao lado dele. Já a pista de skate será reconstruída pela própria Sabesp, modernizada e com o dobro do tamanho atual.

O encontro no Paço reforçou que a URQ não é uma estação de tratamento de esgoto (ETE), na qual a concentração de dejetos a serem tratados é seis vezes superior à de um córrego. A unidade será erguida ainda em 2022 sem custos para a Prefeitura – o financiamento é todo da companhia estadual.

A Prefeitura e a direção da Sabesp em Guarulhos tornaram a garantir a valorização do bairro com a URQ, que será feita de aço inox e pré-montada, o que evita os ruídos de uma construção comum. Seu maquinário, após instalado, também não será motivo de preocupação para os moradores, já que estará protegido acusticamente. Trata-se de um modelo muito parecido ao que está sendo implantado pela companhia no rio Pinheiros.

Somente a URQ será responsável por tratar 30% de todos os dejetos de Guarulhos – por ano, ela dará conta de 31,1 bilhões de litros de esgoto de 600 mil guarulhenses, e os cursos d´água após o tratamento terão condições de abrigar vida. Até o final de 2024, a expectativa é que 70% do esgoto produzido em Guarulhos seja tratado.