Cidades

Professores do Estado começam a escolher aulas a partir desta segunda-feira

Cerca de 56,4 mil professores da região metropolitana de São Paulo podem escolher aulas a partir de hoje para o ano letivo de 2014

Secretaria da Educação simplifica processo de atribuição e docentes efetivos e estáveis vão atribuir, ampliar e suplementar a jornada em um único dia

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo inicia hoje, 20, um novo processo de atribuição de aulas para os mais de 230 mil professores da rede estadual de ensino, sendo 56,4 mil deles da região metropolitana de São Paulo. A partir deste ano, a composição de carga horária de trabalho dos docentes será definida em um único dia.

O processo simplificado permite que  os professores efetivos e os estáveis definam toda a carga horária em um só dia e na mesma escola de atuação.  Antes o profissional precisava de três datas para atribuir, ampliar e suplementar a jornada de trabalho.

A ação faz parte das políticas em andamento da Secretaria da Educação do Estado para ampliar a atuação efetiva na rede, complementada ainda pelo maior concurso da história realizado em novembro com 59 mil cargos e que deve ter a convocação dos primeiros 20 mil nos próximos dias.

O processo acontece até a sexta-feira, 24, e os profissionais devem procurar a escola ou a diretoria regional de ensino em que vão atuar. As datas para atribuição variam de acordo com o regime de contratação do educador e mais informações podem ser consultadas no Diário Oficial do Estado e no Portal da Educação no www.educacao.sp.gov.br.

"Com o processo sendo realizado em apenas um dia, o professor poderá atribuir o máximo possível de aulas em uma mesma unidade de ensino. É uma forma de aproximar o professor do aluno e da unidade em que atua, trazendo benefícios preciosos na qualidade pedagógica oferecida", afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

Outra novidade do processo de atribuição de 2014 é que este ano pela primeira vez os 36 mil professores efetivos que fizeram o processo seletivo também vão poder acumular como temporários. Com o acúmulo, a carga horária dos docentes poderá ser ampliada em até 65 horas semanais. Além de representar um ganho salarial de cerca de R$ 1.400 ao mês em caso de professores com jornada de 40 horas, a medida permitirá ainda que o professor efetivo substitua outro professor, afastado por licença médica por exemplo, em horário distinto de sua jornada e na mesma escola em que atua.

Esta atribuição acontece no último dia do processo, data em que os docentes não-efetivos também participam do atribuição. Para esses profissionais a escolha acontece nas diretorias de ensino.