Início » Árbitro cita desrespeito do corintiano Gabriel para justificar expulsão após jogo
Estadão

Árbitro cita desrespeito do corintiano Gabriel para justificar expulsão após jogo

Uma tentativa de passar por entre dois jogadores do América-MG, já no fim do jogo na Neo Química Arena, custou caro para Gabriel. Ao colocar o braço no rosto de um rival, o volante corintiano acabou levando o terceiro cartão amarelo. Revoltado, reclamou após a partida e acabou expulso. Não enfrenta o Palmeiras e o Red Bull Bragantino, os dois próximos rivais do Corinthians no Campeonato Brasileiro. O árbitro justificou na súmula ter sido "desrespeitado" ao justificar o cartão vermelho.

Bastante irritado, Gabriel foi cobrar Sávio Pereira Sampaio pelo amarelo que o tirou do clássico. Sem medir as palavras, também adquiriu outra suspensão com a expulsão. O árbitro explicou o motivo da punição ao camisa 5 do Corinthians.

"Expulso com o cartão vermelho direto após o término da partida por proferir as seguintes palavras estando com o dedo em riste e em alto tom de voz em minha direção: Você me tirou da p… do próximo jogo, c… . Informo que me senti ofendido com tal atitude", escreveu Sávio Pereira Sampaio.

Gabriel será um importante desfalque para o técnico Sylvinho. Com o novo esquema que vem sendo implantado, o camisa 5 é o único jogador de combate, com Giuliano, Willian e Gabriel Pereira completando o meio-campo.

Sem seu "cão de guarda", o técnico deve apelar para Xavier no sábado, às 19 horas, na Neo Química Arena e, também, na visita ao Bragantino, dia 2 de outubro. As características são semelhantes, mas o treinador gostaria de dar ritmo de jogo e entrosamento aos titulares, para ambientar a parceria com os reforços, e agora terá de mudar a escalação.

O Corinthians entrará em campo diante do Palmeiras sob pressão após três empates seguidos com times de menor expressão, Juventude, Atlético-GO e América-MG, e com a ameaça de sair no grupo da Copa Libertadores, a meta para a temporada. Desta forma, não pode mais desperdiçar pontos em casa. É o terceiro pior mandante, superando só Sport e Chapecoense, os dois piores do Brasileirão.