Estadão

Russos atacam oito regiões da Ucrânia e atingem refinaria

Forças russas lançaram ofensiva em oito regiões da Ucrânia nas últimas 24 horas, informou o gabinete presidencial ucraniano neste sábado (16). Os ataques com mísseis e bombardeios ocorreram em Donetsk, Luhansk e Kharkiv no leste, Dnipropetrovsk, Poltava e Kirovohrad no centro da Ucrânia e Mykolaiv e Kherson no sul. Os ataques reforçaram a percepção de que todo o país permanece sob ameaça, apesar dos movimentos russos mais intensos em direção ao leste ucraniano, onde se teme uma nova ofensiva.

Em Luhansk, os russos bombardearam uma refinaria de petróleo na cidade de Lysychansk neste sábado, provocando um grande incêndio, informou o governador regional, Serhiy Haidai. Segundo ele, não foi a primeira vez que a refinaria foi atacada. Haidai acusou os russos de tentar "esgotar" os serviços de emergência locais. Ele destacou que não havia combustível na refinaria no momento do ataque e "os restos de borra de petróleo" estavam queimando.

Em Kharkiv, nove civis foram mortos e mais de 50 ficaram feridos na sexta-feira, enquanto na região mais ampla, dois foram mortos e três feridos, segundo o relatório.

A região sul de Mykolaiv foi atingida na sexta e no sábado. De acordo com o gabinete presidencial, os ataques aéreos de sexta-feira mataram cinco e feriram 15. A chefe da legislatura regional, Hanna Zamazeyeva, disse no sábado que 39 pessoas ficaram feridas nas últimas 24 horas. Segundo ela, os alvos incluíam vários blocos residenciais "onde não há instalações militares".

Na capital, Kiev, o prefeito Vitali Klitschko, disse que uma pessoa morreu e várias ficaram feridas em ataques aéreos de sábado de manhã no distrito de Darnytski. "Nossas forças de defesa aérea estão fazendo tudo o que podem para nos proteger, mas o inimigo é insidioso e implacável", disse Klitschko no aplicativo de mensagens Telegram. O Ministério da Defesa da Rússia informou que os ataques tinham como alvo uma fábrica de veículos blindados na capital ucraniana.

Klitschko pediu aos ucranianos que não retornem a Kiev ainda, alertando que os ataques na capital provavelmente continuarão e seus subúrbios estão equipados com explosivos. "Não estamos descartando mais ataques na capital", disse Klitschko. O prefeito acrescentou que, por causa das minas, os moradores de Kiev estão impedidos de visitar parques e florestas nas áreas do nordeste que fazem fronteira com territórios anteriormente ocupados pelos russos.

Já no oeste ucraniano, na região de Lviv – longe da fronteira russa e uma área há muito vista como uma zona segura -, o governador Maksym Kozytskyy relatou ataques aéreos por aeronaves russas que decolaram da vizinha Bielorrússia. Segundo ele, o sistema de defesa aérea da Ucrânia derrubou quatro mísseis de cruzeiro. Ele não forneceu detalhes sobre possíveis vítimas ou danos. Fonte: Associated Press.