Estadão

S&P: defaults de incorporadoras da China devem aumentar nos próximos 6 a 12 meses

A S&P Global Ratings afirma que os defaults de incorporadoras da China devem aumentar nos próximos seis a 12 meses, de acordo com o analista de crédito Edward Chan. "Isso está refletido em nossas recentes ações de rating", comenta ele, segundo comunicado da agência sobre relatório que discute o assunto.

A S&P diz que problemas de liquidez da Evergrande, políticas restritivas da China e alguns defaults recentes fizeram com que muitas incorporadoras chinesas não consigam mais financiamento offshore.

Para a agência, autoridades locais devem ajustar suas medidas, a fim de gerenciar o risco de contágio e evitar estresse excessivo. Os investidores, por sua vez, aguardam para ver se esses ajustes serão o suficiente para estabilizar o mercado, segundo ela.

De acordo com a S&P, a piora no setor já contribuiu para uma série de defaults entre incorporadoras chinesas.

A agência cita questões como medidas recentes de aperto do governo e também o gerenciamento inadequado da liquidez por algumas incorporadoras, bem como o uso de dívida fora do balanço ou outras obrigações não reportadas, que aumentam as incertezas.