Início » Stefani entra no Top 15 de duplas e na zona do WTA Finals; Soares é o 9º na ATP
Estadão

Stefani entra no Top 15 de duplas e na zona do WTA Finals; Soares é o 9º na ATP

A grande campanha da brasileira Luísa Stefani no US Open ao lado da canadense Gabriela Dabrowski, que terminou de maneira trágica com uma dura lesão da tenista paulista durante o jogo contra as americanas Catherine McNally e Coco Gauff, pelas semifinais, lhe rendeu bons frutos tanto no ranking individual de duplas como na corrida da temporada da WTA.

Stefani ganhou quatro colocações no ranking de duplas, entrou pela primeira vez no Top 15 e agora é a 14.ª melhor do mundo, a melhor posição da carreira. Na corrida para o WTA Finals, que nesta temporada será disputado em Guadalajara, no México, ela e Dabrowski entraram na zona de classificação, assumindo a oitava colocação.

Parceira da paulista, Dabrowski também se deu bem no ranking individual e garantiu o seu retorno ao Top 10. A canadense de 29 anos subiu as mesmas quatro colocações de Stefani e alcançou a sétima posição, igualando a melhor marca da carreira até então, que fora alcançada pela primeira vez em março de 2018.

As três brasileiras que aparecem depois de Stefani, todas no Top 300, também ganharam terreno nesta semana. A paulista Carolina Meligeni Alves é a número 2 do país na 180.ª colocação, cinco acima do último ranking. Logo atrás vem a paulista Laura Pigossi, que subiu três lugares e agora é a 185.ª. Fechando a lista, a também paulista Rebeca Pereira saiu do 243.º lugar para o 236.º.

MASCULINO – Vice-campeão do US Open ao lado do britânico Jamie Murray, o brasileiro Bruno Soares conseguiu voltar ao Top 10 com a campanha conquistada em Nova York. Ele ganhou dois lugares e saiu do 11.º posto para alcançar a nona colocação na lista divulgada nesta segunda-feira. Jamie também subiu e retornou ao Top 20, ocupando a 20.ª posição.

Os dois também escalaram o ranking da temporada, que garante as oito melhores duplas no ATP Finals, que será em Turim, na Itália. Soares e Murray ganharam cinco posições na corrida de 2021 e agora são a oitava melhor dupla do ano, entrando na zona de classificação.

Quem também ganhou terreno após o Grand Slam americano foi o mineiro Marcelo Melo, que saiu do 20.º lugar para o 18.º. Já o gaúcho Marcelo Demoliner foi na direção oposta e perdeu duas posições, aparecendo atualmente na 53.ª colocação.

Mais três brasileiros figuram no Top 100 de duplas. Com um título e um vice nas duas últimas semanas, Rafael Matos e Felipe Meligeni Alves seguem subindo. O gaúcho chegou ao 73.º posto, melhorando cinco em relação ao último ranking, mesma ascensão do paulista, sobrinho de Fernando Meligeni, que agora é o 85.º. Um pouco mais atrás, o gaúcho Orlando Luz se manteve com o 95.º lugar.