Estadão

Uefa permite que clubes inscrevam 2 novos jogadores que atuam em Ucrânia e Rússia

A Uefa abriu uma exceção em seu regulamento para permitir que os clubes europeus inscrevam até dois novos atletas que estavam atuando na Ucrânia ou na Rússia para o restante das suas competições continentais. A guerra na região do leste europeu fez com que os jogadores que atuavam nos países tivessem seus contratos suspensos pela Fifa até o fim da temporada.

A decisão vale para a Liga dos Campeões, Liga Europa e Liga Conferência, competições organizadas pela Uefa e que já estão na fase quartas de final. A medida também vale para os regulamentos referentes a competições femininas da entidade. As inscrições na categoria masculina valerão até o próximo dia 1º de abril e na feminina até o dia 7 de abril.

"O Comité Executivo da Uefa decidiu nesta segunda-feira alterar os regulamentos da Liga dos Campeões 2021/22, Liga Europa 2021/22 e Liga Conferência 2021/22, permitindo aos clubes inscreverem um máximo de dois novos jogadores elegíveis para os jogos restantes nas competições. Para ser elegível para participar nas competições da Uefa acima mencionadas, qualquer novo jogador deve, entre outras coisas, estar devidamente registrado na federação nacional como jogador do clube em questão, de acordo com as regras da própria federação e da Fifa", informou a nota emitida pela Uefa.

Na última semana, a Fifa adotou regras temporárias em decorrência da escalada de conflitos na Ucrânia, permitindo um período excepcional de transferências relacionadas a jogadores e treinadores que estão ligados à Federação Ucraniana de Futebol e à Federação Russa de Futebol.

Os jogadores que atuavam nos dois países serão considerados "sem contrato" até o dia 30 de junho e poderão rescindir com seus atuais clubes unilateralmente sem sofrer punições. De acordo com a Fifa, os novos times terão prazo até o dia 7 de abril para contratar até dois jogadores vindos da Ucrânia ou da Rússia.